Publicidade
Manaus
AJUDA

Vila Olímpica precisa de voluntários para triagem de doações a vítimas de incêndio

A carga de trabalho no ponto de coleta tem sido pesada para os poucos voluntários que atuam organizando o material a ser entregue para as famílias do bairro Educandos 25/12/2018 às 07:55
Show voluntarios educandos 7008b2d3 dcbc 40dc 8530 d487b2bd918e
Foto: Euzivaldo Queiroz
Luiz G. Melo Manaus (AM)

“Precisa-se de voluntários”. O apelo faz todo sentido ao constatarmos que pouca gente sabe que as famílias que foram afetadas pelo incêndio no bairro Educandos, Zona Sul de Manaus, também estão sendo acolhidas fora do bairro onde aconteceu a tragédia. A Vila Olímpica, no Dom Pedro, na Zona Centro-Oeste, por exemplo, além de ser um dos pontos de coleta de doações, abriga atualmente sete famílias. Entre receber e fazer a triagem das várias doações que chegam, além de distribuir refeições, 15 voluntários têm se revezado, dia e noite, para fazer o trabalho no lugar.

Ou seja, é pouca mão de obra para dar conta da grande quantidade de doações que chegam ao local. “O que mais precisamos no momento é de mão de obra voluntária para ajudar a organizar as roupas, os brinquedos e os alimentos que serão distribuídos não só paras as famílias que estão abrigadas aqui, mas também para as que estão em outros abrigos”, conta a jornalista Natália Lucas, que desde terça-feira tem arregaçado as mangas na organização e distribuição dos donativos.

A carga de trabalho na Vila Olímpica tem sido pesada para os poucos voluntários, pois o trabalho começa por volta das 8h e, às vezes, se estende pela madrugada. Entre as pessoas que têm suado a camisa estão os irmãos Jullyenne (23), Jean (18) e Jullyanne Campelo (26), que todos os dias se deslocam do bairro Santa Etelvina,  na Zona Norte, para ajudar. “É um trabalho cansativo, mas é muito prazeroso poder ajudar o próximo. Ainda mais essas famílias que estão vivendo um momento tão difícil”, conta Jullyenne. 

Já acostumado às correrias, o velocista carioca Rodrigo Ramos era um dos mais entusiasmados em poder colaborar com os desabrigados. “Nunca tinha visto uma atmosfera tão solidária como a que vi em Manaus nessa última semana”, conta Ramos, que há dois anos trocou o Rio de Janeiro por Manaus para se preparar para os próximos Jogos Olímpicos. 

O maquiador João Paulo, que também é voluntário na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro,  afirma que o apoio é essencial.  “Tem muita coisa, muita gente que não é vitima e está indo para a frente da igreja.  Precisamos de mais ajuda na igreja e mais organização para que  nada se perca”, comentou.

Como faz para 'se doar'?

Aos interessados em doar um pouco do tempo para ajudar na Vila Olímpica, no bairro Dom Pedro, na Zona Centro-Oeste,  basta aparecer pela manhã, tarde ou noite, conforme disponibilidade.  Os trabalhos começam a partir das 8h e costumam se estender até às 20h.

Quem se interessar em se voluntariar também pode fazer um cadastro na Global Shapers, um grupo que tem organizado os voluntários nos vários abrigos espalhados pela capital numa ação chamada “S.O.S Manaus”. Basta enviar uma mensagem de WhatsApp a uma das coordenadoras, Elyssandra Oliveira, pelo telefone (92) 99437-1610.

“É sempre bom lembrar que ceder um pouco do próprio tempo para ajudar o próximo também é uma doação”, afirmam os voluntários que atuam no local.

Publicidade
Publicidade