Publicidade
Manaus
PREOCUPAÇÃO

Violência toma conta do Centro e preocupa moradores e comerciantes

Expectativa é de que a reativação da dupla “Cosme e Damião” da PM, que faz policiamento a pé, possa melhorar asituação de quem anda e vive no local 20/03/2017 às 07:00
Show clj gm0941
Comerciante mostra carro que teve o vidro arrombado no Centro (Fotos: Gilson Mello)
Dani Brito Manaus (AM)

“O nosso Centro está tomado por bandidos e usuários de drogas. Ninguém pode andar tranquilo. Nós, cidadãos de bem, estamos cansados de ter que nos trancar, nos esconder. Os papéis estão trocados”. O desabafo é do comerciante Marcelo Rouvier, 48, que mora e trabalha no Centro de Manaus há 14 anos e de 10 anos para cá, perdeu as contas de quantas vezes teve a casa e o carro arrombados e furtados.

Nas principais ruas no Centro, é notório o que a falta de segurança tem feito. Os frequentadores andarem o tempo todo apreensivos, com medo.  Já os comerciantes e ambulantes precisam conviver diariamente tendo que dividir espaço com criminosos e usuários de drogas.

“Trabalho aqui há 20 anos e vivo na pele o que a falta de policiamento faz. Já tive minha banda furtada algumas vezes e já fui testemunha de várias furtos e robôs que ocorrem à luz do dia. Os bandidos não tem medo, pois sabem que não há repressão. Todos os dias pessoas são vítimas da atual situação do nosso sistema de segurança”, disse o comerciante Joaquim Bento, 61, que tem uma banca de revistas em uma das ruas mais movimentadas.

A situação é vista com preocupação tanto pela população, quanto pelas autoridades de segurança do Estado, que a partir de hoje reativa a dupla de policiais militares “Cosme e Damião”, que estava extinta há cerca de dois anos. 


Posto de policiamento no Centro: vazio no domingo

Segundo o Comando Geral, a medida é tomada para ampliar a segurança nas ruas do Centro da cidade, principalmente, nas áreas mais movimentadas.

A volta da dupla “Cosme e Damião” é recebida com sentimento de esperança entre as pessoas que precisam ir ao Centro, seja para fazer compras, ou trabalhar. É assim com a vendedora de alimentos Márcia Alfaia, 35. 

“A gente chega aqui de madrugada para arrumar a banca e o medo é constante. Precisamos  pagar para fazerem a nossa segurança e de nossos clientes. Espero que a partir de agora tenhamos mais segurança e paz”, disse.

Cracolândia na praça

Além dos roubos e furtos, outra grande perturbação que os frequentadores do Centro têm enfrentado é a convivência com usuários de drogas.  Segundo denúncia feita à reportagem, os usuários não se intimidam com a grande movimentação de usam drogas à luz do dia. “A Praça da Polícia é um dos locais que eles mais utilizam para ficar se drogando. Esta parte do Centro se transformou em uma verdadeira “cracolândia”, disse um dos trabalhadores que diariamente precisa dividir o espaço com drogados, fingindo não ver nada, por medo de ser agredido.

Ainda segundo os frequentadores do local, quando os usuários estão sob efeitos dos entorpecentes. começam a mexer com as pessoas e até a agredir quem passa.. “O problema vai além da segurança, é social”, definiu Marcelo Seixas, que trabalha no Centro de convive com esta realidade.

Publicidade
Publicidade