Publicidade
Manaus
'CARNE FRACA'

Visa Manaus apreende 298 quilos de produtos impróprios em supermercado na Raiz

Além do auto de apreensão e inutilização, o supermercado foi autuado e terá três dias úteis para apresentar defesa. Se fossem consumidos, esses alimentos poderiam causar DTAs 21/03/2017 às 21:19 - Atualizado em 23/03/2017 às 14:08
Show carne fraca
(Foto: Marinho Ramos/Semcom)
acritica.com Manaus (AM)

No segundo dia de fiscalização em supermercados, nesta terça-feira (21), para vistoriar as condições das carnes comercializadas na cidade, a Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) inutilizou 298 quilos de produtos totalmente impróprios para consumo em supermercado do bairro Raiz, zona Sul da cidade. Se fossem consumidos, esses alimentos poderiam causar DTAs (Doenças Transmitidas por Alimentos) como gastroenterite, por exemplo.

Além do auto de apreensão e inutilização, o supermercado foi autuado e terá três dias úteis para apresentar defesa. Caso não seja aceita, o estabelecimento sofrerá as sanções legais, que incluem multa que varia de 100 a 400 Unidades Fiscais do Município (UFMs), o equivalente a R$ 9.984,00 a R$ 39.936,00.

"É exatamente para coibir esses riscos que a Prefeitura determinou que a fiscalização seja realizada com todo rigor, observando os mínimos detalhes. O que estiver em desacordo com as normas sanitárias deve ser imediatamente retirado de venda. Não vamos permitir que a população seja exposta a problemas de saúde causados por alimentos sem condições de consumo", afirmou o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto.

Foram apreendidos e inutilizados 210 quilos de frangos da marca Sadia descongelados; 12 quilos de peito de frango a granel, com coloração visivelmente alterada; sete quilos de salsicha tipo hot dog; 12 quilos e meio de linguiça calabresa a granel e 20 quilos de linguiça calabresa em bandejas de isopor; 26 quilos de mocotó. Os fiscais ainda recolheram ao depósito, 37 pacotes de 2,5 kg de linguiça calabresa para aguardarem a análise do laboratório.

A Prefeitura decidiu intensificar esse tipo de fiscalização a partir das denúncias da Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal na última sexta-feira (17/3) e que está investigando 40 empresas do setor de frigoríficos no país.

 

Publicidade
Publicidade