Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
SISTEMA PRISIONAL

Visitantes são flagradas com drogas, cimento e roupas de apologia ao crime em prisões

Cinco mulheres foram flagradas ao tentar entrar no Compaj, Ipat e CDPM com materiais ilícitos nas partes íntimas nesse final de semana



flagrada-pris_o_7E437874-EAF9-42A4-8FC5-589D3AE281A7.JPG Foto: Divulgação
26/11/2018 às 16:03

Cinco mulheres foram flagradas ao tentar entrar com materiais ilícitos em presídios de Manaus no último final de semana. Drogas, cimento e roupas que faziam apologia ao crime estão entre os objetos apreendidos nesse sábado (24) e domingo (25).

No sábado, Vanessa Chaves Araújo, que iria visitar o preso Luís Cláudio Silva Lopes, no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), foi detida com 52 gramas de skunk. Na mesma unidade prisional, Edmara Menezes da Silva, cadastrada como visita do detento Marcos Fabrício da Silva Souza, também estava com 265 gramas de skunk.

A visitante Franquilene Negrão da Costa foi flagrada, no domingo, tentando entrar no Centro de Detenção Provisória de Masculino (CDPM), com uma bermuda e uma blusa de apologia ao crime. As peças de roupas estavam envoltas de um plástico preto colocadas em suas partes íntimas. Ela iria visitar o esposo, Jonai Coelho Pereira.

Raynara Ninfa Nelson de Oliveira Conceição, que deu entrada como visita de Francisco Nascimento de Souza Júnior, foi flagrada no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat) com 84 gramas de maconha.

Ainda no domingo, o Compaj voltou a registrar mais uma ocorrência. Dessa vez com Marcilene Soares Batista, esposa do preso Sérgio Silva Soares. A visita estava com 134 gramas de cimento envolto de um plástico. O material ilícito escondido nas partes íntimas.

Todos os visitantes passaram pelos procedimentos de revista para adentrarem nas unidades prisionais e os entorpecentes foram detectados escondidos nas partes íntimas das flagranteadas durante revista no body scan - o scanner corporal presente em todas as unidades prisionais.

A medida tomada pela Seap ao flagrar visitantes com materiais proibidos é a suspensão do cadastro de visita dos parentes no período mínimo de 30 dias, que pode se estender para 90 dias ou por tempo indeterminado, se os visitantes tiverem registros de outras ocorrências com objetos ilícitos.

Outra penalidade sofrida pelos visitantes flagrados é o encaminhamento a Distritos Integrados de Polícia (DIPs) para os procedimentos cabíveis. Em alguns casos, os visitantes já ficaram detidos e encaminhados ao sistema prisional.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.