Publicidade
Manaus
SEGURANÇA

Visitas no Compaj são suspensas após morte de agente penitenciário com golpe de faca

Alguns familiares reclamaram da truculência com que foram tratados e não sabiam direito o que havia acontecido 01/12/2018 às 16:21 - Atualizado em 01/12/2018 às 16:49
Show compaj 84f2bc78 f9df 4e37 843a 1f0cd3a1112f
Foto: Yasmin Feitoza
Izabel Guedes Manaus (AM)

Após a morte do agente penitenciário Alexandro Rodrigues Galvão, 36, na tarde deste sábado (1°), as visitas no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) foram suspensas e a movimentação na parte de fora da unidade foi bastante intensa.

Alguns familiares reclamaram da truculência com que foram tratados e não sabiam direito o que havia acontecido.

A mulher de um dos detentos, que preferiu não se identificar, disse que estava no pavilhão 5 quando foi avisada que teria que sair. “A gente soube que a confusão ocorreu no pavilhão três, mas onde estávamos estava tranquilo. Aí mandaram a gente sair. Foi constrangedor porque os agentes ficaram xingando a gente, sendo que nós não temos culpa de nada”, relatou a jovem.

A mãe de outro detento disse que nos outros pavilhões estava tudo tranquilo. "Estávamos fazendo a visita e do nada mandaram sair. Mas não ouvimos a confusão”, disse ela sem querer ser identificada.

Além dos familiares a movimentação da polícia no presídio também foi intensa. Viaturas da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) e do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera) entravam e saiam do local a todo o momento, mas ninguém falou com a imprensa.

Publicidade
Publicidade