Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
Restrição para carros

Volta dos turistas brasileiros que estão na Venezuela é liberada

Apenas a passagem de veículos precisa ser comunicada até as 13h às autoridades venezuelanas



fronteira_venezuela__4_.jpeg A liberação da passagem para pedestres foi comunicada no início da tarde desta terça-feira. (Divulgação)
21/12/2016 às 05:00

 A passagem de pedestres pela fronteira entre o Brasil e a Venezuela foi totalmente liberada ontem, após novas conversas entre o Ministério das Relações Exteriores e as autoridades venezuelanas.  Apenas a passagem de veículos precisa ser comunicada até as 13h (horário local da Venezuela) ao Comando do Exército Fuerte Roraima, em Santa Elena de Uairén, cidade que faz fronteira com Pacaraima, em Roraima. 

Na última segunda-feira, acordo bilateral entre os dois países estipulava que apenas os turistas brasileiros que tivessem procurado o Vice-Consulado em Santa Elena poderia cruzar a fronteira. 

A Secretaria de Relações Internacionais de Roraima informou a reabertura da fronteira no início da tarde de ontem. Em nota, a secretária Verônica Caro disse que conversou com o comandante do Exército Venezuelano em Santa Elena, José Gregório Masantes, que garantiu o livre acesso dos brasileiros para voltar para casa. 

Ainda segundo Verônica Caro, a restrição permanece para veículos. Ou seja, o turista que deseja deixar a Venezuela de carro precisa solicitar a passagem do veículo junto ao Comando do Exército Fuerte Roraima, até às 13h, no horário da Venezuela, para conseguir a liberação. Por enquanto, somente os veículos de grande porte que transportam alimentos têm passagem livre. 

“Essa liberação é fruto do empenho do governo que, desde o fechamento da fronteira, está mobilizado para garantir o retorno em segurança dos brasileiros que estavam na Venezuela e ansiavam em voltar para o Brasil”, destacou a secretária, por meio de nota. 

A fronteira entre os países está fechada há uma semana, quando o presidente venezuelano Nicolás Maduro anunciou o bloqueio de acesso para evitar a desestabilização da economia da Venezuela. 

No início da semana, o Vice-Consulado brasileiro em Santa Elena de Uairén chegou a estimar que pelo menos 100 brasileiros estavam procurando ajudar para regressar ao País. 

Rota clandestina
Com o bloqueio da fronteira da Venezuela com o Brasil e a Colômbia, centenas de pessoas chegaram a atravessar para o lado brasileiro por rotas clandestinas, que ficaram conhecidas como “caminho verde”. O caminho dura em média 20 minutos por dentro da mata. 

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.