Terça-feira, 16 de Julho de 2019
SAÚDE MENTAL

Caminhada em prol do ‘Janeiro Branco’ alerta sobre os cuidados com a saúde mental

Voluntários foram até o Centro Histórico de Manaus chamar a atenção da população sobre a importância de cuidar das emoções e da saúde mental



47.jpg Voluntários distribuíram informativos sobre saúde mental e emocional aos feirantes e frequentadores da Feirinha da Eduardo Ribeiro. Fotos: Jair Araújo
28/01/2018 às 13:27

Uma caminhada em prol da campanha nacional de saúde mental e emocional, “Janeiro Branco”, foi realizada na manhã deste domingo (28), na avenida Eduardo Ribeiro, no Centro Histórico de Manaus. O objetivo da ação, promovida pela Cruz Vermelha Brasileira Amazonas e o Núcleo de Apoio a Vida Manaus (Navima), foi chamar a atenção da população para a importância do cuidado com as emoções e a saúde mental. 

Durante a caminhada, voluntários distribuíram panfletos sobre “Janeiro Branco” e o Centro de Valorização da Vida (CVV), que realiza apoio emocional e prevenção do suicídio. Eles também conversaram com as pessoas, tiraram dúvidas e explicaram como elas podem pedir ajuda quando necessitar. “Tem muitas pessoas que ainda desconhecem a campanha”, disse a presidente do Navima, Luziane Vitoriano.

A psicóloga Camila Macedo, da Cruz Vermelha Brasileira Amazonas, afirmou essas ações procuram promover reflexão sobre comportamentos, emoções, sentimentos.  “Hoje em dia é dificultoso a pessoa falar sobre isso e é tabu também mediante algumas situações que têm acontecido sobre depressão, que é a segunda maior doença do mundo. Então queremos trazer esse assunto para a rua para que as pessoas pensem sobre si, sua vida e busque apoio psicológico caso precise”, frisou.

Para a cuidadora de idosos Antônia Francisca dos Santos, 43, uma das pessoas abordada pelos voluntários da “Caminhada Janeiro Branco”, a informação que recebeu será importante na hora de ajudar alguém da família ou conhecido quando este tiver precisando. “Tem muita gente que não sabe como lidar com esses problemas. Conhecê-los é bom não só para saber ajudar, mas também pedir ajuda quando precisar. Nos dois casos ainda precisamos de mais conhecimento”, destacou.

A artesã Fátima Brandão, 54, também compartilha a mesma opinião. Ela disse que foi a primeira vez que ouviu alguém pessoalmente abordando os temas defendidos pela campanha “Janeiro Branco” e teve certeza que a luta é nobre e não tem que parar. “Isso reforçou o que eu já sabia como o fato da depressão não ser frescura, mas uma doença que pode matar”, destacou ressaltando que as pessoas cuidam tanto do corpo e se esquecem da mente. “Isso não pode acontecer”, afirmou.

De acordo com a psicóloga Naradja Varela, uma das coordenadoras da campanha “Janeiro Branco” no Amazonas, que está em sua segunda edição, a adesão tem sido cada vez maior. “No ano passado, nossas ações alcançaram cerca de três mil pessoas, este ano, vamos superar porque foram muitas atividades realizadas em Manaus, inclusive pela Susam, Semsa (secretarias estadual e municipal de saúde, respectivamente), e nos diversos municípios do Estado que aderiram à campanha”.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.