Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020
DISCUSSÃO

Wilker e Dermilson não discursam na tribuna e criticam postura de Josué Neto

Os deputados Wilker Barreto (Pode) e Dermilson Chagas (PP) se indignaram quando na vez que iriam discursar na tribuna, Josué Neto encerrou a sessão e determinou o intervalo de dois minutos.



DERMILSON-CHAGAS_F966CBBD-B4C8-4F6C-B8C2-69FE2D49AC74.jpg Foto: Reprodução
18/12/2019 às 12:20

Deputados da oposição entraram em discussão nesta quarta-feira (18) com o presidente da Assembleia Legislativa (ALE-AM), deputado Josué Neto (PSD), após os parlamentares serem excluídos do pequeno expediente da ordem do dia, momento em que sobem à tribuna para discursar temas de interesse por cinco minutos. Tempo determinado no regimento interno da casa.

Os deputados Wilker Barreto (Pode) e Dermilson Chagas (PP) se indignaram quando três colegas deputados já haviam falado na sessão plenária e chegado na vez deles, Josué Neto declarou suspensa a sessão para abrir uma homenagem de entrega da medalha Ruy Araújo ao desembargador Elci Simões, do Tribunal de Justiça do Amazonas.



"Falou toda a parte do Governo. Nosso direito está sendo cerceado. Isso é grotesco. Cria uma antipatia muito grande e não é o perfil desta casa. Nem deve ser. Não podemos aceitar isso em hipótese alguma", argumentou da própria mesa, o deputado Dermilson Chagas que foi ignorado pela casa.

O presidente da Aleam e também deputado Josué Neto determinou um intervalo de dois minutos e pediu ao cerimonial que organizasse a sessão de homenagem. No início dos trabalhados na casa, o deputado Wilker foi o primeiro e único a se inscrever para a tribuna, mas pediu para ser o último a falar.

A mesa diretora estava presidida pela vice-presidente da ALEAM, deputada Alessandra Campêlo (MDB), na ausência de Josué. O deputado Sinésio Campos (PT) pediu uma cessão de tempo, que durou por 15 minutos. Em seguida, João Luiz (Republicano) e Saullo Vianna (PPS) usaram o tempo cedido para seus discursos.

Os últimos dias de atividade na Casa estão com entraves desde a semana passada, quando por duas vezes consecutivos não houve quórum para a deliberação e votação de matérias.

Desencontros

Na terça-feira (17) a votação de matérias também foi adiada mais uma vez, quando Josué brincou afirmando que "após o meio-dia, é ponto facultativo para o jogo do Flamengo".  Nesta quarta-feira (18), o Josué Neto apontou um total de 72 matérias legislativas pendentes para os deputados.

 A mais importante, a Lei Orçamentária Anual (LOA), que estima receita e fixa despesa ao Estado em R$ 18, 923 bilhões para 2020, também tem expectativa de votação.

Segundo o regimento interno da ALEAM, os deputados devem zerar a pauta para poder votar a LOA e a revisão do Plano Plurianual (PPA) até o dia 20 de dezembro. Josué já havia falado que pretendia aprovar as duas até 19 de dezembro, amanhã.

Para hoje (18), ainda está prevista também o balanço anual do ano parlamentar dos deputados, numa prestação de contas do primeiro ano de presidência desta legislatura pelo deputado Josué.

News nicolas marreco 93b3b368 d59c 4897 83f6 80b357382e56
Jornalista
Formado pela Faculdade Boas Novas. Pós-graduando em Assessoria de Comunicação e Imprensa e Mídias Digitais. Com passagens por outros veículos locais, hoje atua nas editorias de política e economia de A Crítica. Valoriza relatos humanizados e contos provocativos do cotidiano.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.