Publicidade
Manaus
NOVO COMANDO

Yêdo Simões toma posse como presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas

Os desembargadores Wellington José de Araújo e Lafayette Carneiro Vieira Júnior também assumiram os cargos de vice-presidente e corregedor-geral, respectivamente.  04/07/2018 às 19:35 - Atualizado em 04/07/2018 às 20:30
Show whatsapp image 2018 07 04 at 18.22.18
(Foto: Jair Araújo)
Vitor Gavirati Manaus (AM)

O desembargador Yedo Simões tomou posse como novo presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) em cerimônia realizada no final da tarde desta quarta-feira (4) no Teatro Amazonas, no Centro de Manaus. Além de Yedo, compõem o novo Conselho da Magistratura os desembargadores Wellington José de Araújo e Lafayette Carneiro Vieira Júnior como vice-presidente e corregedor-geral, respectivamente. 

Os dirigentes foram escolhidos para ocupar os cargos diretivos da Corte Estadual em sessão do Pleno realizada no dia 27 de março deste ano.

A sessão solene de posse foi presidida pelo, agora, ex-presidente do Tribunal Estadual, desembargador Flávio Pascarelli. O evento contou com a presença dos magistrados amazonenses, lideranças municipais e estaduais, além de prefeitos do interior do Estado.

Yedo Simões vai ocupar o posto deixado por Flávio Pascarelli até 2020. No discurso de despedida, Pascarelli afirmou que em meio a recessão econômica enfrentada pelo País ao longo de sua gestão, o Tribunal precisava transpor obstáculos, para atingir as metas de produtividade alcançadas. Um relatório sobre as ações da gestão do ex-presidente está disponível no site do TJ-AM.

O que faz o Conselho da Magistratura

Entre as atribuições do Conselho, está exercer a inspeção superior da Magistratura, e manter a disciplina nos órgãos de Primeira Instância, determinando correções e sindicâncias; reexaminar, em grau de recurso, decisão do Juiz da Infância e da Juventude; julgar habeas-corpus em favor de menores de 18 anos, quando a coação partir de autoridade judiciária; além de processar e julgar representação contra Juízes.

Concurso e mudanças

Antes da sessão solene de posse, em entrevista coletiva, o novo presidente do TJ-AM anunciou que irá lançar o edital para a realização de um concurso público nos próximos dias.

Yedo Simões também afirmou que irá continuar a reorganização da Vara de Execução Penal do TJ-AM iniciada com o desembargador Flávio Pascarelli.

"Já houve uma mudança. Hoje, a Vara de Execuções conta com três juízes e mais pessoas. Nós vamos dividir, um juiz para cada sistema prisional. Um para o regime fechado, um para o semiaberto e outro para os presos provisórios. Com certeza, isso vai melhorar", explicou.

Yedo também prometeu atualizações no sistema digital do Judiciário amazonense. Segundo ele, mudanças devem ser feitas para que a comunicação entre as comarcas do interior do Estado e a de Manaus possa ocorrer de maneira mais rápida.

Interior carente

O vice-presidente do TJ-AM, Wellington José de Araújo, também afirmou que vai procurar medidas para atender os juízes do interior do Estado. "Procurarei implementar algumas medidas para que o jurisdicionado no interior se sinta como poder judiciário atuante. Em algumas comarcas a situação é calamitosa, elas contam com um funcionário e os demais são das Prefeituras. Essas questões serão trazidas por mim à presidência porque eu conheço quase todo o interior do Estado", disse Araújo.

Adoção

O corregedor-geral Lafayette Carneiro Vieira Júnior, que já atuou em varas ligadas à infância e adolescência, afirmou que em breve o TJ-AM vai implantar a adoção internacional. "Eu vou colocar o núcleo da corregedoria que trata da ação internacional à disposição. Ou seja, nós vamos abrir a doação nacional e internacional", prometeu.

Formação
Yedo Simões formou-se em Direito pela Universidade Federal do Amazonas (1978) e ingressou na magistratura no ano de 1979 e foi juiz de Direito das Comarcas de Barcelos, Itacoatiara, Autazes, Maués. Na Comarca de Manaus, foi titular das 3ª, 7ª, 8ª e 9ª Varas Cíveis; da 6ª Vara Criminal; do 1º Tribunal do Júri; da 1ª Vara da Fazenda Pública do Estado do Amazonas; da Vara de Execuções Criminais e do 2º Juizado Especial Cível. Como juiz eleitoral, conduziu pleitos em Barcelos, Itacoatiara e Autazes e, na capital, foi juiz das 1ª, 2ª, 32ª e 37ª zonas eleitorais. Em 1992, exerceu a função de presidente e coordenador do pleito municipal de Manaus. Foi promovido a desembargador em 2005 pelo critério de merecimento, ocupou o cargo de corregedor-geral de Justiça no biênio 2012/2014 e presidiu o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) no biênio 2016/2018. 

Graduado em Direito pela Ufam no ano de 1978 - na mesma turma em que se formou Yedo Simões –, o desembargador Wellington Araújo também é formado em Letras pela mesma instituição e ingressou na magistratura no ano de 1980, atuando como juiz substituto na Comarca de Manaus e, posteriormente, nas Comarcas de Urucará e Parintins. Foi promovido para a capital onde, no decorrer de 19 anos, foi titular da 3ª e da 6ª Vara Criminal, do 1º Tribunal do Júri, da 2ª Vara da Fazenda Pública do Estado e, ainda, da 8ª e 18ª Vara Cível. No ano de 2010 foi promovido a desembargador; atuou como diretor dos Fóruns Mário Verçosa e Henoch Reis, em Manaus. Compõe o colegiado de magistrados da 2ª Câmara Cível do TJAM.

Nascido em Manaus, o desembargador Lafayette Vieira Júnior ingressou na magistratura em 1989 e foi designado para servir na Comarca de Itapiranga, tendo atuado também, posteriormente, pelas Comarcas de Silves, Rio Preto da Eva, Presidente Figueiredo, Iranduba e Autazes. Promovido a juiz da 2ª Entrância, passou a responder, na capital, inicialmente pela Vara do Juizado Infracional da Infância e da Juventude, depois pela 5ª Vara Cível, 15ª Vara Cível, Vara Especializada de Crimes contra o Idoso, Adolescente e Crianças e 1ª Vara da Fazenda Pública Municipal. Pelo critério de antiguidade, foi promovido a desembargador em 2013. Foi diretor dos Fóruns Des. Lúcio Fonte de Resende e Azarias Menescal e atualmente integra a 3ª Câmara Cível do TJAM.

Publicidade
Publicidade