Sábado, 21 de Setembro de 2019
MAUS CAMINHOS

Zaidan diz que foi um ‘grande para-raios do governo’ durante depoimento

Ex-secretário da Casa Civil negou que tenha recebido propina e afirmou que, por conta das crises no governo Melo, chegou a ser a “pessoa mais importante no Amazonas”



zaidan_9783A40B-EAB5-4D15-ABB9-ABB80811F629.JPG Foto: Jair Araújo
07/08/2019 às 13:22

O ex-secretário Raul Zaidan declarou nesta quarta-feira (7), durante depoimento à Justiça Federal no Amazonas, no processo oriundo da Operação Maus Caminhos, que é inocente e que seu envolvimento no caso se deve ao fato de ter ficado à frente da Casa Civil do Estado por 10 anos. Segundo o réu, ele foi um “grande para-raios do governo”.

Ainda durante o interrogatório, realizado pela juíza federal Ana Paula Serizawa, da 4ª Vara da Justiça Federal, responsável pelo processo, Raul reforçou que atendia a todos as instituições e o legislativo, durante o governo de José Melo, e que, devido às crises na gestão do Estado, chegou a ser a “pessoa mais importante no Amazonas”. Ele explica:

“O governo José Melo estava passando por um processo de cassação, a imprensa massacrando e ele não atendia pessoas. O Estado em uma crise financeira e atrasado, principalmente, na saúde. Aquilo ali era desumano. Sempre trabalhei de portas abertas e atendi a todos. Só desgraça. Ninguém me procurava pra dar bom dia ou café. Foi massacrante e programei a minha saída para outubro e novembro de 2016, e saiu no dia 30 de julho. Deixando a modéstia de lado, diziam que naquele momento que eu era a pessoa mais importante do Estado”, declarou.

Sobre sua relação com o empresário e médico Mouhamad Moustafa, apontado como líder do esquema criminoso que desviou milhões da Saúde do Amazonas, Zaidan contou que o conheceu antes das eleições de 2014, que resultou na vitória de Melo.

O advogado e administrador mantinha um relacionamento próximo com o empresário. De acordo com ele, quando estava em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em São Paulo, nos preparativos para passar por uma cirurgia no coração, Moustafa o acompanhou e prestou apoio.

“Lá ele esteve comigo algumas horas, me consolando, pois meu pavor era fazer a cirurgia de peito aberto. Ele me tranquilizou muito e deve ter passado mais de 12 horas [comigo]”, disse.

Zaidan ainda afirmou que nunca recebeu propina de Moustafa, contrariando a acusação do Ministério Público Federal (MPF), que teria recebido um veículo importado, blindado, como parte de uma vantagem no esquema ilícito. Segundo o MPF, Zaidan teria recebido, no mínimo, R$ 249 mil.

Por conta de ameaças, o ex-secretário confirmou que Mouhamad intermediou a compra do carro e o entregou pessoalmente em sua residência localizada no bairro Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus. O veículo teria sido pago por Mouhamad com recursos próprios de Zaidan.

“Eu declarei ao COAF [Conselho de Controle de Atividades Financeiras] a compra. [...] Nem amostra grátis recebi do Mouhamad, somente o carro que foi todo pago com o meu dinheiro”.

A partir das 13h de hoje está previsto a coleta do depoimento de Wilson Alecrim, Afonso Lobo e de Melo.

News larissa 123 1d992ea1 3253 4ef8 b843 c32f62573432
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.