Quinta-feira, 03 de Dezembro de 2020
MÁRIO DE MELLO

Presidente do TCE deseja para Manaus gestores com integridade

Para Mário de Mello, a gestão equivocada dos recursos públicos é resultado da falta de preparo das pessoas a frente dos cargos públicos que não focam no cidadão.



MARIOMELLO_1FA333C2-51F8-4699-9CCA-8C65E0AA070F.JPG (Foto: Junio Matos)
24/10/2020 às 12:50

Mário de Mello é alagoano, nascido em Maceió e mora em Manaus há 31 anos. Foi secretário do governo por 26 anos e hoje é conselheiro e presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM). Formado em gestão de políticas púbicas com especialização de política e estratégia, ele é casado com uma amazonense e afirma: “Manaus é a minha vida”.

Nestes 351 anos da capital amazonense, o presidente do TCE-AM oferta um presente que, segundo ele, é o desejo de todos os cidadãos manauaras e brasileiros, a honestidade e a dignidade.



Para Mário de Mello, a gestão equivocada dos recursos públicos é resultado da falta de preparo das pessoas a frente dos cargos públicos que não focam no cidadão. O conselheiro diz que uma gestão eficaz do município é necessária para que Manaus entre em um eixo de moralidade e integridade.

“Indiscutivelmente um bom gestor, como a própria palavra diz, vai fazer uma gestão espetacular! Vai fazer uma gestão que vai trazer saúde, vai trazer educação, vai trazer segurança. Vai fazer uma gestão que vai trazer a dignidade social da população de Manaus”, prospecta Mário de Mello, que preside a instituição que é responsável pela fiscalização das contas dos gestores públicos, inclusive de Manaus, e que recentemente comemorou 70 anos. A sede do TCE-AM também fica na capital amazonense desde a sua fundação.

News giovanna 9abef9e4 902c 428b a7c8 c97314664fb7
Repórter
Repórter de A CRÍTICA. Sempre em busca de novos aprendizados que somente uma boa história pode trazer.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.