Publicidade
Parintins 2017
despedida

Após 30 anos, Waldir Santana deixa o posto de pajé do Boi Caprichoso

Decisão, segundo o presidente Babá Tupinambá, foi consensual. Artista tem 35 anos de dedicação ao boi e vai continuar confeccionando roupas de itens 28/09/2016 às 12:11 - Atualizado em 28/09/2016 às 15:41
Show waldir
Waldir Santan era o item individual há mais tempo na função no Festival de Parintins (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Dante Graça Manaus (AM)

Após 35 anos de muita dedicação ao Caprichoso, sendo 30 deles defendendo o item pajé no Festival de Parintins, Waldir Santana deixou o posto de maneira oficial nesta quarta-feira (28). O anúncio foi feito na página oficial do bumbá no Facebook e confirmado pelo presidente Babá Tupinambá. Segundo ele, a decisão foi consensual.

“Eu conversei com o Waldir semana passada , quando ainda estava em São Paulo, e só faltava  conversarmos pessoalmente. Quando nos encontramos, ele reafirmou a saída”, afirmou o dirigente, ressaltando que ambos já vinham conversando sobre a possibilidade de mudança no item. “Durante a campanha eu já havia dito que não sabia se ia manter ou modificar os itens”.

De acordo com Babá, Waldir pediu para continuar confeccionando roupas de itens, o que foi atendido. “Eu jamais iria rejeitar este pedido dele”, destacou o presidente, que ainda não decidiu se o artista irá confeccionar as roupas do novo pajé ou de algum outro item.

O respeito pela trajetória de Waldir Santana é tão grande dentro do Caprichoso que o presidente pediu dele a opinião sobre um sucessor - que já foi definido, mas só deve ser anunciado na próxima semana, em evento na escolinha de artes do bumbá.  “Ele citou o mesmo nome que nós havíamos pensado”, festejou Babá, que não quis dar pistas sobre o novo nome, pois ainda não teve uma conversa oficial com o futuro representante do item de número 12. “Ele já é do Caprichoso, mas ainda não conversamos. Só fiz algumas sondagens”.

Sem dar maiores detalhes, Babá ainda afirmou que novas mudanças serão feitas ainda nos próximos dias, mas descartou, neste primeiro momento, que alguma delas possa estar ligada a uma eventual vitória de Brenna Dianná, Rainha do Folclore do Touro Negro, no Miss Brasil. “Brenna é um item muito forte, se ela ganhar se torna um marketing nacional para o nosso boi”, avaliou ele.

Publicidade
Publicidade