Publicidade
Parintins 2017
SURPRESA

Boi Caprichoso une imaginário caboclo com o ilusionismo de Issao Imamura

Ilusionista há mais de 20 anos fala sobre expectativa de usar "toques" de mágica no Festival de Parintins 29/06/2017 às 10:00 - Atualizado em 29/06/2017 às 12:08
Show issao
Imamura é considerado o maior ilusionista do Brasil e estará em apresentações do Caprichoso (Foto: Márcio Silva)
Oswaldo Neto Parintins

Com o tema “A Poética do Imaginário Caboclo”, o Caprichoso vai brincar em 2017 com histórias e lendas do povo amazônico. Não por acaso, a imaginação, a ilusão e as surpresas preparadas pelo Touro Negro vão ser acrescidas de um elemento que promete deixar todos boquiabertos: Issao Imamura, um dos maiores nomes do Brasil quando o assunto é ilusionismo.

Um dos fundadores no Brasil, Imamura realizou a primeira demonstração há mais de 20 anos quando fez desaparecer um caminhão de sete toneladas. E pela primeira vez na história, o Festival Folclórico de Parintins terá uma parcela do talento dele mostrado do Bumbódromo para o mundo. “Foi uma grande honra receber esse convite do Caprichoso”, disse ele.

Convidado pelo presidente do Caprichoso, Babá Tupinambá, Issao chegou à cidade nesta quarta-feira (28) e visitou o galpão central do boi. Ele afirma que o objetivo é entender o funcionamento do festival, aprendendo os mecanismos e como utilizar o ilusionismo para surpreender o público.

Em entrevista exclusiva na Ilha Tupinambarana, ele fez segredo sobre o que vai fazer na arena ou se, de fato, vai aparecer para os brincantes, porém, ele adianta que “toques” vão ser unidos ao espetáculo por mais de uma noite. “Não vou revelar quais são os dias, mas são alguns momentos específicos que vamos colocar alguns detalhes ilusionistas. E vamos sentir mais. Se nesse ano não conseguirmos colocar tudo aquilo que imaginamos, com certeza ano que vem estaremos mais focados e com ideias para fazer”, disse ele.

O ilusionista, inclusive, já usou sua experiência para abrilhantar espetáculos nos carnavais paulista e carioca, onde usou toda sua criatividade nos desfiles de escolas como a Mocidade Alegre, Mangueira e Beija-Flor. Segundo ele, Parintins é um grande desafio por seguir uma história que é contada pelo espetáculo. “É um espetáculo que fala da crença de um povo... O que deu origem ao que nós somos e o quanto isso representa para a nação. Creio que é uma forma de manter viva a origem do nosso País”.

Para isso, ele afirma ter se preparado assistindo horas de vídeos e preparando sua equipe a fim de deixar o grupo alinhado ao regulamento. “Às vezes no espetáculo que nós criamos os regulamentos são nossos. Nós criamos o que precisamos criar e as condições. Agora aqui não, porque são regras específicas. Então temos que criar algo surpreendente respeitando as regras do festival”, ponderou.

Imamura comemora a oportunidade de contribuir com o seu talento para o Caprichoso unindo a tradição do boi-bumbá ao ilusionismo. “Desde criança eu ouço falar no festival de Parintins. Faz parte da cultura brasileira, e pra gente é algo mágico a estarmos vivendo isso depois de muitos anos. É ótimo estar compartilhando e colaborando pra que esse festival aconteça de forma mais mágica”.

Publicidade
Publicidade