Publicidade
Parintins 2017
PARINTINS

Boi Caprichoso usa matéria-prima da floresta para formar cenografia do curral

Materiais regionais são elementos utilizados na decoração do palco do lançamento do CD e gravação do DVD “Sabedoria Popular: Uma Revolução Ancestral” 11/04/2018 às 12:20
Show capri1
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Palhas, cipós, folhas secas, sementes, artesanatos, cestarias, pau-caboclo, fibras de juta e malva. Esta matéria-prima regional, adquirida nas comunidades rurais do município de Parintins, se transforma em arte no Boi-Bumbá Caprichoso como elementos de composição da cenografia do Curral Zeca Xibelão. Os toques criativos são das mãos artísticas empenhadas na construção do projeto cenográfico, executada desde o mês de março, sem uso de materiais industrializados na decoração.

A cenografia é feita por 12 artistas de diversas especialidades, com base no protótipo criado pelo Conselho de Artes do Boi Caprichoso, de acordo com a proposta do tema do bumbá em 2018, para receber a festa de lançamento do CD e gravação do DVD “Sabedoria Popular: Uma Revolução Ancestral”, no dia 21 de abril. Pelo segundo ano consecutivo, a diretoria do Boi Caprichoso aposta no talento e na experiência do artista plástico, Glaucivan Silva, para ser o responsável pela execução do projeto.

Os artistas de alegorias: Algles Ferreira, Jucelino Ribeiro, Kennedy Prata e Geremias Pantoja se uniram para apoiar na preparação da cenografia. Desenhistas, soldadores, pintores, carpinteiros e ajudantes formam a equipe. “Para prevalecer a criatividade, recorremos aos materiais comuns encontramos na biodiversidade amazônica. Essa matéria-prima regional enriquece a decoração da cenografia e tem alto valor social, por representar a sabedoria do povo, que nos permite um acabamento rústico”, frisa Glaucivan Silva.

O coordenador do Conselho de Artes do Caprichoso, Ericky Nakanome, lembra que as alegorias e o próprio boi de pano ganharam corpo com o uso de matéria-prima regional nas primeiras décadas do Festival Folclórico de Parintins. “Faz todo sentido nossos artistas buscarem materiais na própria floresta. O saber popular, a criatividade e os experimentos ano após ano no passado constituíram uma revolução que mudou a história de Parintins. São as raízes da nossa brincadeira de boi-bumbá”, ressalta.

Publicidade
Publicidade