Publicidade
Parintins 2017
BRIGA DE GENTE PEQUENA

'Boi Mirim' revela talentos e eterniza cultura do boi-bumbá em Parintins

Multidão compareceu para assistir a disputa entre os bois Estrelinha, Tupi e Mineirinho na Praça dos Bois 26/06/2017 às 00:29
Oswaldo Neto Parintins

Uma brincadeira inocente, animada, mas que possui um toque de verdade. É esse o poder dado para os pequenos que brincam há cerca de doze anos no famoso Boi Mirim, que acontece em Parintins (a 325 quilômetros de Manaus) e reuniu neste domingo (25) uma multidão que era testemunha não apenas da disputa entre os três “boizinhos”, mas o surgimento de talentos que vão eternizar a maior manifestação folclórica do Amazonas.

Tudo acontece do lado de fora do Bumbódromo, na Praça dos Bois. As pessoas que vão ao local esperam um “mini-show” dos integrantes dos bois Estrelinha, Tupi e Mineirinho, considerados “filhotes” dos bois Garantido e Caprichoso, os grandes mestres do Festival Folclórico da cidade. Eles têm 1h20 para encantar o público presente no local.

E engana-se quem pensa que a disputa não existe. De acordo com o coordenador do Boi Mirim, Karu Carvalho, seis jurados capacitados observam itens defendidos pelas crianças como apresentador, levantador de toadas, cunhã-poranga, rainha do folclore, pajé e porta-estandarte. “É um regulamento muito rígido. É como se fosse um boi grande mesmo. Existe a rivalidade”, disse ele.

Karu contou ainda que por dois anos o Boi Mirim não era realizado em Parintins. “Essa vontade de estar na arena fez com que todos viessem com força total nesse ano e o público compareceu. Aqui vamos fazer o boi-bumbá acontecer e continuar”, afirmou Carvalho, adiantando a possibilidade de eventos como o Boi de Rua Mirim e o Amo do Boi Mirim.

Um dos destaques do boi Estrelinha é Pierre Cardoso, de apenas 10 anos. Tido pelo Garantido como um possível sucessor do apresentador Israel Paulain, ele se diz fã do cantor. “Ele apresenta o Garantido com muito orgulho e conhecimento. Ele estuda as lendas e rituais”, diz ele. Para Pierre, o boi-bumbá significa muito mais que diversão. “O Garantido ganhou 31 anos e o Estrelinha é a primeira vez que faço. Eles me dão muita emoção”.

Emocionada, a cunhã-poranga do boi Tupi, Tayná Souza, de 13 anos, aguardava nervosa a entrada na arena. “Estou nervosa, mas estou confiante”, disse ela. A estudante conta que há dois anos faz parte do grupo mirim.

Questionada sobre qual inspiração ela tem para evoluir ao som do boi-bumbá, ela responde prontamente: Marciele Albuquerque, do Caprichoso. “Ela arrasa muito e é muito linda. O boi-bumbá é muito importante na minha vida. A gente aprende bastante e quem sabe um dia eu possa ser item do Caprichoso”.

A porta-estandarte do Mineirinho, Milena Ramos, tem apenas 16 anos e já tem a bela Marcela Marialva, do Caprichoso, como motivação para ser um item do touro negro. “Não tenho palavras pra explicar. Hoje quem me inspira é a própria porta-estandarte do boi Caprichoso. É um sonho que quero levar pra frente. Tenho esse sonho de ser e vou conseguir”.

Publicidade
Publicidade