Publicidade
Parintins 2017
Bastidores

De Óbidos (PA), grupo de dança realiza sonho de se apresentar no Festival de Parintins

Na apresentação, o grupo vai incorporar quadrilheiros, que mostrarão na dança e fantasia a história dos quilombolas do Amazonas e da cultura afro de Óbidos 01/07/2017 às 22:57 - Atualizado em 01/07/2017 às 22:59
Show 5
Danaçrinos estão super empolgados com o primeiro festival (Foto: Laynna Feitoza)
Laynna Feitoza Parintins (AM)

Tem gente que tem o sonho de vir mostrar o seu talento no Festival Folclórico de Parintins. E esse sonho acaba de ser realizado pelo Garantido Show de Óbidos (PA), fundado neste mês de junho. O coordenador do grupo, Geandre Reis, afirma que, depois de três anos de sonho, tudo conseguiu sair do papel e virou logo realidade em um curto prazo de tempo.

 “O grupo é recente. Fazíamos parte do grupo de teatro Getsêmani, lá de Óbidos mesmo”, diz ele, que trouxe a Parintins um grupo de 40 dançarinos, integrantes de duas importantes quadrilhas do município paraense. De acordo com o coordenador, o mais difícil em trazer a turma para Parintins é conseguir apoio necessário.

“O mais difícil é conseguir apoio financeiro. Se não fosse os nossos amigos, não estaríamos aqui”, diz ele, lembrando que o grupo de dança recebeu ajuda na confecção das fantasias, nas passagens de barco e no aporte financeiro, no geral. De acordo com Geandre, a turma está explodindo de felicidade com a participação no Festival.

“Eles estão felizes, vocês nem imaginam o quanto”, coloca ele. O grupo Garantido Show de Óbidos dançou na primeira noite e vai dançar nas duas outras noites do Festival. Para Reis, isso é uma vitória. “Há uns cinco anos atrás eu e um outro grupo dançamos uma toada só em um evento do Garantido que aconteceu em Parintins”, afirma ele.

Significado

Na apresentação, o grupo vai incorporar quadrilheiros, que mostrarão na dança e fantasia a história dos quilombolas do Amazonas e da cultura afro de Óbidos. “É uma forma de contribuirmos com o folclore e o folguedo”, finaliza Geandre.

No Festival, o grupo representa o bailado folclórico, onde fazem parte da abertura da apresentação do boi, da celebração folclórica e da figura típica regional. “Agora, eles vão estar em cima da alegoria, e estar no contexto de mais de uma hora de participação na Arena”, celebra o coordenador.

Publicidade
Publicidade