Publicidade
Parintins 2017
Responsa maior

Sete itens definirão a última e decisiva noite do Caprichoso no 51º Festival de Parintins

Com as mudanças no regulamento do 51º Festival Folclórico de Parintins, apenas itens do bloco A serão avaliados: Apresentador, Levantador de Toadas, Marujada, Amo, Boi-Bumbá Evolução, Galera e Toada (Letra e Música) 26/06/2016 às 11:50 - Atualizado em 26/06/2016 às 15:17
Show pix
Afonso Piranha é o nome por trás na Marujada de Guerra, que será avaliada hoje (foto: Márcio Silva)
Jhonny Lima Parintins (AM)

A expectativa e a ansiedade para hoje, última noite de apresentação do Festival Folclórico de Paritins, tem um peso de responsabilidade maior para alguns itens dos bumbás Garantido e Caprichoso, uma vez que somente aqueles que compõem o bloco A (Apresentador - item 1; Levantador de Toadas - item 2; Batucada ou Marujada - item 3; Amo do Boi - item 6; Boi-Bumbá Evolução - item 10; Toada, Letra e Música - item 11;  e Galera - item 19) serão julgados.

Mas a pressão para  o encerramento do Festival não é problema para o diretor da Marujada de Guerra do Caprichoso, Afonso Piranha. Ele afirma que os 300 marujeiros de Parintins e os 100 de Manaus estão preparados para mais uma vitória do Boi Azul. “Ano passado fomos 10 em tudo e isso deu moral para nós fortalecermos o grupo”, confessou Piranha.

Ele ressalta que, neste ano, a Marujada estreia o maestro Márcio, que contará com o apoio de Luiz Carlos e Vitor Hugo. Experiente no ramo bovino, o apresentador David Assayag está seguro e confiante. Ele conta que nos 25 anos que tem de Festival, já passou por muita coisa e, pos isso, se sente tranquilo.

“A emoção está à flor da pele. Estamos saindo para isso, para fazer um bom Festival e que venha o bicampeonato”. Ciente da responsabilidade, o Amo do Boi, Edmundo Oran,  explica que a união de toda a nação azul e branca  levará o Caprichoso ao título. “Com fé e dedicação vamos, juntos, conquistar o bicampeonato”.

Surpresas

O membro do Conselho de Arte do Caprichoso Chico Cardoso adiantou que a noite de hoje, será de transformações alegóricas. Como o bumbá não tinha nenhuma alegoria nova, os artistas reorganizaram as coisas, em comum acordo com o Conselho de Arte do Boi.

“Os artistas reformularam as pinturas e aproveitaram peças”, disse. Para a última noite, o Caprichoso vai homenagear os negros e sua contribuição cultural para a história de Parintins. “Hoje a gente come feijoada, faz cafuné... Faz coisas que eles trouxeram pra gente”, ressaltou Cardoso.

“A (revolução) Cabanagem  passou por Parintins, entre São José do Rio Negro e Grão-Pará,no século 19, na época em que a cidade era porto obrigatório de parada, onde se pegava a banha de tartaruga para acender o candeeiro para iluminar as casas e os barcos”, contou.

A Lenda Amazônica Paitunaré será a mesma da noite anterior, quando foi usada como elemento da encantaria da exaltação folclórica, mas desta vez mostrará como se deu e ainda acontece a lenda na região de Parintins. Outro ponto importante da última noite será a homenagem aos artistas que fizeram o Festival acontecer.  

A surpresa ficará a cargo do apresentador Fabiano Neves, que  promete chamar os artistas do Caprichoso e do “contrário” ao centro da Arena e cantar a toada “Artistas de Parintins”. 

Publicidade
Publicidade