Publicidade
Parintins 2017
LADAINHA

Encarnados se reúnem para honrar promessa de Lindolfo no Dia de São João

Cura de uma enfermidade do fundador do Garantido iniciou tradição que já é centenária na Baixa do São José 24/06/2017 às 19:45 - Atualizado em 24/06/2017 às 22:10
Laynna Feitoza Parintins (AM)

Ao som da toada "Celebração", o mastro da tradicional Ladainha de São João do boi Garantido foi cortado. A tradição encarnada acontece há cerca de 100 anos e reúne, todos os anos no dia 24 de junho, membros da Baixa do São José para celebrar a promessa que curou a enfermidade de Lindolfo Monteverde e que o permitiu eternizar o bumbá vermelho.

Na Ladainha, iniciada as 18h30 deste sábado, todos se reúnem no curral da Baixa do São José, entre crianças e idosos, para venerar a tradição. No local, são colocadas cadeiras, mesas com velas e a estátua de São João na frente de uma foto de Lindolfo Monteverde, fundador do boi Garantido.

As atividades começaram com o queimar da fogueira no centro do curral. Logo em seguida, todos se reúnem ao redor do mastro de São João, composto por frutas, para assistir a derrubada do mastro. Assim que o mastro caiu, a comunidade foi pegar as frutas do mastro e, consequentemente, a bandeira que fica ao topo da estrutura.

Após o rito,são iniciadas as preces para homenagear São João. De acordo com Maria Monteverde, que também é membro da Batucada do Garantido, a tradição foi criada quando, ainda jovem, foi acometido por malária e ficou desacreditado com a cura. "Ele prometeu a São João que, se fosse curado, ele iria fazer um evento todos os anos para celebrar o cumprimento da promessa", declarou a filha do fundador do boi Garantido.

Lindolfo foi curado e, a partir daí, todos os anos a Ladainha passou a ser celebrada. "São João é o santo da promessa do meu avô. Hoje também comemoramos o aniversário do Garantido.  Não significa que ele não existia antes da promessa, mas é a partir da promessa de Lindolfo que o Garantido é eternizado. Pelo fato dele ter adoecido, ele prometeu ao São João que iríamos todos os anos acender a fogueira, levantar o mastro e renovar esses momentos de fé na comunidade da Baixa", declara Cleumara Monteverde, neta de Lindolfo.

Nascida e crescida na rua Lindolfo Monteverde, a professora de história Petty Ribeiro, 36, trouxe o filho, Antônio Bento, 2, para conhecer as tradições de seu boi do coração. "Para mim é muito importante mostrar isso para o meu filho, porque cresci vendo esse boi passar na rua. Eu dancei muito nesse curral quando ele era só de areia", coloca ela.

Ainda segundo Petty, motivar a tradição ao filho é ainda mais importante porque o pequeno é, literalmente, "filho" da Alvorada vermelha e branca. "Ele nasceu no dia 1 de maio, às 1h58, exatamente no momento da Alvorada. Quando ele nasceu, não precisamos acordar ninguém aqui, porque tava todo mundo vendo a Batucada passar nas ruas, de casa", completa a professora.

Logo após a Ladainha, o boi Garantido irá sair rumo às ruas de Parintins, para celebrar São João, que, depois de curar seu fundador, virou padroeiro do bumbá. O boi Garantido irá para o curral da Baixa do São José, onde também se concentrará a Batucada e os brincantes do boi para a passeata. O cortejo deve seguir pela rua Armando Prado e adjacências.
 

Publicidade
Publicidade