Publicidade
Parintins 2017
boi-bumbá

Festival de Parintins 2016: Estreias marcam o espetáculo da nação azulada

Thaisa Brasil, Adriane Viana e Fabiano Neves substituem Jéssica Tavares, Jr.Paulain e Karyne Medeiros 21/06/2016 às 11:09
Show cpa0121 04f   c pia
Thaisa Brasil, já se apresentava pelo bumbá pela Companhia de Dança de Maués. Este ano ela substitui Jéssica Tavares (foto: Aguilar Abecassis)
Rafael Seixas Parintins (AM)

O Boi Caprichoso promete trazer muitas novidades para as apresentações do 51° Festival Folclórico de Parintins. Essas inovações vão além das indumentárias, coreografias ou alegorias:  nesta edição, a “linha de frente” da nação azul e branca contará com o retorno e a estreia de alguns nomes entre os itens oficiais. Com a saída de Jéssica Tavares do posto de porta-estandarte, Thaisa Brasil, 21, assumiu o item n° 5 e está preparada para conduzir o pavilhão na Arena do Bumbódromo de Parintins (a 325 de quilômetros de Manaus).

Ela, que é natural de Maués, dançava da Companhia de Dança de Maués - que se apresenta pelo Caprichoso na época do festival - foi descoberta pelo bumbá em uma das viagens à Ilha Tupinambarana. “Na Companhia de Dança de Maués fazemos a lenda e participamos da tribo coreografada. Comecei dançando por lá e, na viagem de 2013, fui chamada para a tribo do Caprichoso. Em 2014 vim para Parintins porque tinha passado na universidade (para o curso de zootecnia) e fui convidada para ser a rainha do folclore substituta no aniversário de Parintins. Depois me fizeram convite para dançar como porta-estandarte substituta. Então, desde o início de 2014, comecei como porta-estandarte substituta e passei a me apresentar em arraiais e eventos do boi-bumbá”, contou Thaisa.

Antes de chegar ao tão sonhado posto, ela ainda passou pelo Corpo de Dança do Caprichoso (CDC) e participou do concurso de porta-estandarte de 2015. Nele, a jovem ficou classificada em terceiro lugar e a ganhadora foi justamente Jéssica Tavares. Mas, devido ao pedido de afastamento da titular, a diretoria precisava encontrar rapidamente uma jovem que pudesse representar com talento, bailado e desenvoltura o item.

“Realmente não esperava ser anunciada. O pessoal conhece o meu trabalho, porque em todos os eventos que a Jéssica não podia estar, eu ia substituí-la. Estava estudando quando recebi a mensagem de que seria a nova porta-estandarte, e por isso não tinha visto. Depois o Joilton Azêdo (presidente do Caprichoso) me ligou, mas não atendi porque estava na sala de aula e meu celular estava de lado”, contou Thaisa

Foi preciso que Chico Cardoso, membro do Conselho de Arte do Caprichos, ligasse para ela, perguntando se ela tinha olhado para o celular. “Falei que não, então ele me disse para abrir a mensagem. Quando fui ver  tinha uma mensagem do Joilton dizendo: ‘Boa noite, nova porta-estandarte do boi-bumbá Caprichoso’. Ao ler, fiquei parada sem saber o que fazer, não sabia se gritava ou chorava. O convite veio no momento que eu menos esperava”, acrescentou.

Apesar da alegria, para a nova  porta-estandarte ainda é cedo para fazer planos para os próximos anos, mas a nação azul e branca pode ter certeza da dedicação e empenho para fazer o melhor nas três noites de festival, garantiu a bela morena. “Há muitas coisas que envolvem a decisão do item ficar ou não no cargo. Algumas pessoas me aceitam, outras não, mas quero entrar nessa arena e fazer uma história no Caprichoso, porque amo esse boi e sempre estive à sua disposição para tudo. Espero ficar por muitos anos e fazer um bom trabalho”, afirmou.

De volta para casa

Conhecida dos torcedores do Caprichoso, Adriane Viana retorna para defender o item n° 7. Em entrevista à equipe de A CRÍTICA, a jovem afirmou que aquela sinhazinha que representou o boi de 2001 a 2006 ficará na memória do público, porque este ano muitas novidades estão reservadas para   a  performance dela naArena, garante.


Adriane Viana retorna ao posto de sinhazinha após temporada de 2001 a 2006

“Tive pouquíssimo tempo para me preparar, mas devido à experiência de seis anos, ainda tenho referências de como são feitos os movimento de uma sinhazinha, de rodar o vestido, dar os giros... Aquela sinhazinha de 2006 ficará no passado, pois existem novas técnicas e movimentos”, conta ela, que diz ter se proposto a se  dedicar diariamente para ser uma sinhazinha mais clássica, com movimentos leves e sincronizados, nada mecanizado e nem robotizado, diz ela.

“Tenho dois coreógrafos de dança contemporânea que estão me ajudando a introduzir novas técnicas e novos passos para ter realmente uma nova sinhazinha”, revelou Adriane, que assumiu a função após um pedido de afastamento de Karyne Medeiros.

A maior dificuldade vivida no momento pela sinhazinha é resistir ao peso da indumentária, por isso ela teve que intensificar os trabalhos de corpo. “De manhã faço funcional, corrida e trabalhos de condicionamento e fôlego. A música da sinhazinha repete três vezes e agora não fico só no meio da arena, mas nas laterais, então o condicionamento físico é muito importante, porque o cansaço pode me impedir de fazer algum movimento. Todos os dias ensaio com o vestido para que ele não me atrapalhe no dia”, contou.

Para a nação azul e branca, ela fez questão de deixar o seu “muito obrigado”: “O Caprichoso me deu a oportunidade de fazer o meu nome dentro da associação, de ser reconhecida como a sinhazinha do Boi Caprichoso. É um orgulho e  uma honra poder receber novamente tanto carinho e amor”.  

Talento reconhcido

A missão de ser o porta-voz e mestre de cerimônias do Caprichoso ficará nas mãos de Fabiano Neves. Estreando no item apresentador, o artista conta com 15 anos de experiência como cantor de toadas. Ele começou a sua carreira pelo Caprichoso ainda no auge da TVLândia, crescendo como artista juntamente com a expansão do ritmo em Manaus. Mas, somente em 2002, é que ele pôde realizar seu sonho de juventude ao cantar pela primeira vez junto da Marujada de Guerra.


Estreando na arena como apresentador do Boi Caprichoso no festival deste ano, Fabiano Neves conta com 15 anos de experiência como cantor de toadas 

Manauara, neto de nordestinos, fonoaudiólogo e pós-graduando, Fabiano passou vitorioso por um caminho de muitas dificuldades, sem nunca esmorecer e esquecer- de sua humilde origem. O artista já levou o nome e as toadas do Caprichoso em inúmeros shows por todo o Brasil, da terra dos pampas à terra de Maria Bonita e Lampião, além de diversos países da Ásia, Europa e América do Norte.

Além disso, Fabiano já apresentou os bois de Manaus, passando pelo Brilhante e Garanhão, e, além deles, também participa ativamente de vários outros folguedos da região em cidades como Barcelos, Nova Olinda do

 

Publicidade
Publicidade