Publicidade
Parintins 2017
FESTIVAL DE PARINTINS

Festival de Parintins renova patrocínio com multinacional e apoio do Governo do AM

Assim como no ano passado, a famosa marca de refrigerantes e bebidas vai repassar R$ 1.250.000 para cada boi, totalizando repasse de R$ 2.500.000, enquanto o governo vai liberar R$ 1 milhão para cada associação 12/05/2017 às 10:51 - Atualizado em 12/05/2017 às 11:01
Show asfsdf
(Foto: Aguilar Abecassis)
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Os bois-bumbás Caprichoso e Garantido receberam uma ótima notícia nesta sexta-feira: a renovação de patrocínio da multinacional Coca-Cola para as duas associações folclóricas visando o Festival de Parintins. Assim como no ano passado, a famosa marca de refrigerantes e bebidas vai repassar R$ 1.250.000 para cada boi, totalizando um repasse total de R$ 2.500.000.

O valor foi anunciado em reunião realizada na manhã de hoje na sede do Governo do Estado, com a presença do governador David Almeida, presidentes dos dois bumbás e diretores da Coca-Cola.

Mas as boas notícias aos bois não param por aí. Na oportunidade, David Almeida confirmou que o Governo do Estado vai liberar R$ 1 milhão para cada associação folclórica.

Presente ao evento, o vice-presidente de Finanças da Coca-Cola, Alexandre Fernandes, comentou da satisfação que a multinacional tem de apoiar o Festival de Parintins por meio do repasse financeiro.

"Para nós esse repasse aos bois Garantido e Caprichoso é uma honra pois já são 16 anos de apoio. São muitos anos de identificação com a cultura nacional e amazonense, e ainda mais em um momento difícil pelo qual o Brasil está passando", disse o diretor da empresa.

"Recebemos essa renovação da parceria com muita alegria. E nos próximos dias deveremos assinar o repasse para receber o dinheiro do Governo do Estado", comentou o presidente do Boi Garantido, Adelson Albuquerque.

Segundo Babá Tupinambá, que preside o Boi Caprichoso, o momento é de agradecer à Coca-Cola. "Essa parte do dinheiro vai pagar nossa folha salarial e alegorias. Só temos a agradecer", frisou ele.                       

Publicidade
Publicidade