Publicidade
Parintins 2017
Boi-bumbá

Festival marca o começo e o fim de um ciclo para itens do boi-bumbá Garantido

Djidja Cardoso estreia como sinhazinha e Verena Ferreira deixa o bumbá após quatro anos para se dedicar aos estudos 21/06/2016 às 11:19
Show cpa0221 10f
Curiosidades: O nome verdadeiro da nova sinhazinha é Dilemar Cardoso, mas ela é conhecida pelo público como Djidja. Já Verena Ferreira tinha 18 anos quando foi escolhida para defender o estandarte do Garantido (Fotos: Aguilar Abecassis)
Rafael Seixas Parintins (AM)

Os torcedores da Baixa de São José terão que se preparar para vivenciar fortes emoções na arena do Bumbódromo de Parintins (a 325 quilômetros de Manaus). Nesta 51ª edição do festival folclórico, a cunhã-poranga Verena Ferreira se despede do item n°9. Apesar da notícia triste, o boi-bumbá Garantido tem motivos para celebrar e dar suas boas-vindas para a nova sinhazinha da fazenda, Djidja Cardoso, que tem a  responsabilidade de superar a desenvoltura de sua antecessora, Ana Luísa Faria.

Embora pareça uma decisão abrupta, Verena contou à equipe de A CRÍTICA que a sua saída foi planejada desde o ano de 2015.

“Esse é o meu quarto e último ano no Garantido. Estou saindo por conta da minha vida pessoal e também porque quero dar oportunidade para outras meninas parintinenses. Passei no curso de Medicina e quero me dedicar 100% à faculdade. Infelizmente eu não vou conseguir fazer o curso e cumprir os meus compromissos no boi. Estou deixando o cargo por conta dos meus estudos e porque acredito que quatro anos são suficientes para um item. Para mim isso aqui é passageiro, sempre coloquei na minha cabeça que seria um hobby, porque gosto de dançar. Estou deixando o item em aberto também para que outras meninas possam realizar o sonho de ser cunhã-poranga”, declarou.

Ainda conforme Verena, a decisão de deixar o item e consequentemente as atividades no bumbá ainda é novidade para muitos da galera vermelha e branca. “As pessoas que apreciam a minha dança me pedem para ficar e dizem que estão satisfeitas com o que desenvolvi nesses anos, mas realmente a questão são os estudos e oferecer essa oportunidade no Garantido para outras pessoas”.

Emoção da despedida

Para o festival de despedida, a moça mais bela da tribo não sabe qual será a sua reação. “Quero agradecer ao Garantido pela oportunidade de ser item. Fui por dois anos porta-estandarte e por dois anos cunhã-poranga e, pode ter certeza, foi uma experiência incrível. Todas as lembranças que vivi dentro do boi eu vou contar para meus filhos e netos", disse.

"Estou fechando um ciclo que foi muito bom, saindo de cabeça erguida e com a certeza que fiz um trabalho de qualidade. Para as pessoas que gostam da minha dança, agradeço pelo carinho e por todas as mensagens de apoio que me incentivavam a dançar melhor. Vou levar todo esse carinho no meu coração”, garantiu.

Força de vontade

O sonho de ser sinhazinha da fazenda sempre foi forte na vida de Djidja Cardoso, tanto que ela concorreu à vaga escondida da mãe. Em 2011, a parintinense ficou em segundo lugar no concurso que consagrou Ana Luísa Faria como item n°7. Mas, agora, é a vez dela de emocionar a todos na Arena do Bumbódromo.

“Minha família é torcedora e sócia do Garantido. Minha mãe dançava e foi uma das fundadoras do Garantido Show, junto com as minhas tias. Então, desde pequena as acompanhava. Sempre sonhei em ser este item por conta da ex-sinhazinha Vanessa Gonçalves. Achava ela linda, com aquele vestido de princesa. Em outubro do ano passado surgiu a oportunidade de participar do concurso e também era a minha última chance, porque tenho 24 anos. A minha mãe não sabia que eu ia participar justamente por conta do concurso anterior, que  foi muito difícil, mas saiu no Facebook que eu estava concorrendo. Então ela e toda a família me apoiaram”, relembrou.

O apoio e a dedicação foram tantos que, no dia 10 de outubro de 2015, Djidja foi anunciada como a nova representante do item nº 7. “Sou a única da família que conseguiu realizar o sonho de ser um item oficial do Garantido. Todas tinham esse sonho, mas nenhuma conseguiu realizar. Por isso é muito importante, pois estou representando também a minha família”, contou a parintinense,  que optou por deixar Manaus há dois meses para voltar às raízes e vivenciar todo o clima que antecede o festival, além de se preparar fisicamente, coreograficamente e espiritualmente para estrear no evento bovino.

“Para a minha nação vermelha e branca posso dizer que estou preparada para defender o item n°7. Podem esperar ver uma sinhazinha audaciosa, divertida e, como não pode deixar de ser, tradicional. Com tudo isso, eu espero que sejamos campeões, não só no meu item, mas todos do boi-bumbá Garantido”, encerrou. 

Última dança na Arena

Na última noite de apresentação na Arena do Bumbódromo, Verena Ferreira não sabe se conseguirá controlar a emoção. “Não sei como será a minha reação ao ouvir o Israel Paulain (apresentador do Garantido) anunciar a minha despedida ou que é a última vez que estou dançando no Garantido. Talvez na terceira noite eu tenha mais essa sensação de despedida”. 

A bela contou que a noite da despedida, que será a última deste festival, no domingo, deve ser a mais emocionante para ela, apesar de o item dela não estar entre os que serão avaliados pelos jurados. É que, em reunião realizada entre os dirigentes dos dois bumbás, ficou definido que apenas as duas primeiras noites do Festival terão todos os itens avaliados pelos jurados. Na terceira e última noite, que acontece no domingo, apenas parte dos itens do Bloco A do regulamento receberão nota: levantador de toada, apresentador, amo do boi, toada letra e música, organização do grupo folclórico, galera e Marujada ou Batucada.

 “O meu bloco não vai concorrer nesta noite, então poderei dançar sem preocupação e com a certeza que fiz um bom trabalho. O meu foco agora são os jurados, afinal ali é uma disputa”, afirmou a cunhã-poranga, que deixará o item de n°7 para se dedicar ao curso de Medicina da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). 

Publicidade
Publicidade