Publicidade
Parintins 2017
LEMBRANÇAS

Memórias do Festival: a ousadia de Vanessa Gonçalves

Hoje vereadora em Parintins, a ex-Sinhazinha do Garantido recorda tensão com a chuva no seu ano de despedida 27/06/2017 às 10:00
Show erq 4436
Vanessa ainda guarda lembranças do tempo de Arena (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Jhonny Lima Parintins (AM)

Neste ano completa uma década que a “eterna Sinhazinha da Fazenda” do Garantido, Vanessa Gonçalves, deixou o posto de filha do fazendeiro.

Mas durante os sete anos em que defendeu o item 7 do Festival Folclórico de Parintins, ela se orgulha em dizer que desempenhou o papel com muito amor, dedicação e paixão ao Boi Vermelho e Branco. Entre choros de emoção e gargalhadas de alegria, ela reforça que até hoje não se vê distante do bumbá.

Em meio a tantas recordações, uma específica chama mais a atenção dela. Foi em 2007, o ano de sua despedida como sinhazinha, não somente por ser o seu último ano, mas por alguns episódios que aconteceram.

“Na segunda noite teve um grande temporal e um blecaute em Parintins, era a evolução da Rainha do Folclore, Patrícia de Góes. Nesse dia eu estava com febre e garganta inflamada, tomando injeção, mas mesmo assim fui para o Bumbódromo”, conta, acrescentando que, na hora da chuva, sua mãe, Rita, ligou pedindo para ela não se apresentar, assim como o então presidente do Garantido, Telo Pinto, não a relacionou para a noite, uma vez que não iria contar pontos devido ao temporal.

Lógico que ela não obedeceu. E foi, mesmo usando um vestido que normalmente pesava 15 quilos e, na chuva, chegou a pesar mais de 25. “Eu fiquei toda marcada e chegava até a sangrar. Era o sangue pelo boi, por amor mesmo”, enfatizou.

Galera

Um dos sonhos de Vanessa  que se tornou realidade aconteceu na última noite de apresentação. Ela conquistou o feito, inédito para uma sinhazinha, de descer da galera. Fã declarada de Daniela Assayag, Vanessa assistiu, ainda pequena, à ousadia de Daniela saindo do meio da torcida.

“Eu queria ser cunhã-poranga  por causa dela. Eu lembro dela descendo do povo, da sua nação, e sabia que era difícil pra mim por causa do vestido, mas o Garantido fez com que eu me despedisse do meio da minha nação vermelha e branca”, lembrou.

Outro momento de grande importância aconteceu em 2002, quando Vanessa se preparava para entrar na Arena e o balão em que ela vinha teve problemas técnicos. Foi necessário cantar mais de duas vezes a toada do item para poder ser resolvido o problema, sem contar a tensão de uma possível queda e de um acidente. “Passou um filme na minha cabeça. Comecei a rezar e, quando o balão se abriu, eu estava de costas para os jurados. Eu virei, desci e, quando cheguei na frente dos jurados, eu me benzi”, disse, aliviada.

Publicidade
Publicidade