Publicidade
Parintins 2017
ESTRUTURA

Operações de segurança em Parintins começam com chegada de 400 policiais

Para fiscalizar as ações aero-portuárias, o Sindacta-4 contará com 33 profissionais, enquanto que o Corpo de Bombeiros terá 115 homens 27/06/2017 às 14:40 - Atualizado em 27/06/2017 às 16:08
Show img 9585
Reunião no Bumbódromo definiu as diretrizes (Foto: Evandro Seixas)
Laynna Feitoza Parintins (AM)

400 policiais militares chegam nesta terça em Parintins com o intuito de reforçar o contigente de segurança para o 52º Festival Folclórico de Parintins, que acontece nos dias 30 de junho e 1 e 2 de julho. Para fiscalizar as ações aero-portuárias, o Sindacta-4 contará com 33 profissionais, enquanto que o Corpo de Bombeiros terá 115 homens trabalhando na Ilha Tupinambarana nos dias que antecedem a festa e nos três dias de evento.

De acordo com o coronel Dan Câmara, da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), o ciclo de operações está sendo iniciado. Locais como o Aeroporto Júlio Belém; o Bumbódromo; o estádio Tupy Cantanhede – que vai receber a Festa dos Visitantes na quinta (29), às 20h; os locais de troca de alimentos por ingressos – a serem definidos ainda; os currais dos bois Garantido e Caprichoso; a Avenida Amazonas; bares Chapão e Comunas, Porto de Parintins receberão atenção reforçada do contigente de segurança.

“Em Manaus, o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) estará ativo para ações em Parintins. Serão instaladas 20 câmeras no município que poderão ser visualizadas pelas centrais de comando em Manaus”, destaca Câmara. Segundo o coronel da Polícia Militar, Franklides Ribeiro, está prevista a chegada de 100 mil turistas na Ilha Tupinambarana, durante esta semana. “A PM iniciou a operação Encontro das Águas, em parceria com a Marinha, para a fiscalização das embarcações”, afirma o coronel.

Ao todo, 400 policiais militares chegaram nesta terça (27) em Parintins, e amanhã já estarão operando na Ilha. “Dividimos a cidade em seis setores: os setores da Catedral, do aeroporto, bar Comunas, bar Chapão, Praça dos Bois e porto de Parintins. Estamos também criando folders em inglês, português e espanhol para repassar aos turistas”, assegura Franklides. Além da operação Encontro das Águas, a PM estará com a operação Boas Vindas. “Ela tem o projeto ‘Linha da Vida’, que visa fiscalizar o trânsito para reduzir acidentes”, diz.

A Polícia Militar só irá retornar para a capital amazonense na terça (3), para atuar também na Festa da Vitória. Em áreas consideradas de alto risco de segurança em Parintins, o policiamento será reforçado, segundo o coronel. “Na Ponte Amazonino Mendes sabemos que tem grande incidência de furto e roubo após os eventos. Os bairros Itaúna I e II, além do Bairro da União, receberão policiamento motorizado”, garantiu Ribeiro.

De acordo com o capitão Andrey Barbosa, comandante da tropa do Corpo de Bombeiros, o contingente do núcleo terá 115 homens, incluindo mergulhadores de resgate e bombeiros especializados. O coordenador aéreo-portuário, Jean Jorge, afirmou que o Sindacta-4 está com um time de 33 homens e estará coordenando todo o espaço aéreo de Parintins. Recebemos os bombeiros militares que vão somar com os civis. Há uma barraca da PM montada no aeroporto, e a Polícia Federal vai fiscalizar aeronaves e tripulantes”, afirma.

Ainda segundo Jean, a chegada das grandes aeronaves deve aumentar a partir desta quarta (28). O aeroporto possui dois carros de bombeiro em linha. “Está acima da categoria necessária para operar as aeronaves, mas segurança nunca é demais”, coloca ele. O capitão Marcelo Barros, da Capitania dos Portos, afirmou que a operação Parintins começou pela Marinha na última segunda (26), às 16h. “Haverá inspeção nas embarcações. A única incidência que tivemos é uma embarcação que estava sem o Passe de Saída. Verifiquem sempre se a embarcação tem o Passe antes de vir, para não correr o risco de voltar no meio do caminho”, disse ele.

O navio-hospital Montenegro e o navio Pedro Teixeira, que chega na sexta (30), devem atender a população neste período. “Temos o apoio de 400 militares. Quando a embarcações chegarem em Parintins, vamos fiscalizar a Francesa, os banhos e lanchas. A parte maior fica com o contigente de Manaus que está chegando. Neste período, nenhuma mercadoria irá desembarcar no porto principal, somente

Publicidade
Publicidade