Publicidade
Parintins 2017
ITENS

Pelo segundo ano, sinhazinha do Garantido busca perfeição no Bumbódromo

Defendendo o item 7, Djidja Cardoso busca equilíbrio entre garra e delicadeza pelo boi vermelho e branco 29/06/2017 às 12:08
Show capa0129 01v
Djidja vai defender o item número 7 do Boi da Baixa pelo segundo ano consecutivo (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Lorenna Serrão Parintins (AM)

Aos 25 anos de idade, Djidjia Cardoso vive a expectativa para entrar na Arena do Bumbódromo como sinhazinha do Garantido pelo segundo ano consecutivo, no próximo fim de semana, na 52ª edição do Festival Folclórico de Parintins. Durante um ensaio fotográfico realizado no Curral do Boi do Povão, na Baixa do São José, a representante do item de número 7 falou sobre ansiedade, preparação e amor ao bumbá do coração na testa.

Segundo a sinhazinha, a pressão que ela sentiu antes da estreia, ano passado, foi substituída por uma sensação mais “leve”. O bom e velho frio na barriga, que de acordo com Djidja não pode faltar nem mesmo durante um ensaio, segue firme e forte. “Toda aquela tensão da estreia do ano passado eu não sinto mais, está tudo mais tranquilo. Claro que o nervosismo na hora da gente fazer uma apresentação ou um ensaio técnico é o mesmo. Dá um friozinho na barriga, mas na hora que a gente vai dançar passa tudo, só conseguimos sentir a energia da galera”, comentou a sinhazinha do Garantido.

Sobre a preparação para este ano, Djidja revelou que está tudo muito bem encaminhado. Mas ela admitiu ser perfeccionista e, por isso, nunca está 100% satisfeita. Afinal, de acordo com ela, sempre falta um ou outro ajuste na hora de finalizar o bailado da sinhazinha da fazenda.

“Eu sempre estou dançando, nunca estou satisfeita com nada. Estou sempre buscando melhorar, ou um sorriso, um beijo, um jogar de mãos. Temos que ter delicadeza e garra, então tudo é sempre muito bem revisado. Nunca estou satisfeita, na Arena a gente não sabe o que se passa na cabeça dos jurados, por isso buscamos qualquer coisa para melhorar. Sempre peço a opinião da minha mãe e do meu noivo”, completou.

De geração em geração

Djidja é de uma família tradicional de Parintins, por isso a paixão pelo Garantido e o talento para bailar na Arena vêm “do sangue”. Algo realmente passado de geração em geração.

“Minha mãe dançou por muitos anos no Boi Garantido, ela foi o item substituto da cunhã-poranga e quase foi a cunhã oficial do boi, mas não foi a vontade de Deus. Então ela me ajuda muito em todos os momentos, principalmente psicologicamente. A gente conversa bastante e ela sempre me incentiva a tratar a todos bem. Claro que na época dela não tinha essa quantidade de redes sociais, era outro tempo, mas mesmo assim ela me ajuda muito”, disse Djidja Cardoso, sinhazinha do Garantido.

Publicidade
Publicidade