Publicidade
Parintins 2017
Por onde anda?

Wilson Sanches, ex-Amo do Boi e Apresentador do Azul, se sente esquecido pelo boi

Artista guarda na memória diversos causos do Boi Azul e a rivalidade com o ‘contrário’ 23/06/2016 às 21:53 - Atualizado em 25/06/2016 às 17:36
Show poronde
Wilson se recupera de um AVC e sonha em retornar ao Boi (foto: Márcio Silva)
Jhonny Lima Parintins (AM)

Ele defendeu o item Apresentador e Amo do Boi nos idos de 1965 a 2000. Com saudosismo,  Wilson Sanches, 71, tirava versos e cantava toadas memoráveis durante a entrevista, apesar da fragilidade da voz em decorrência de um acidente vascular cerebral (AVC) que sofreu há algum tempo. Afastado das atividades do Boi desde o ano 2000, ele ainda guarda uma mágoa e diz que se sente esquecido pelo bumbá que tanto ama.

Emocionado, ele conta das disputas  entre os bois, quando ele, como Amo do Boi, enfrentava   João Batista Monteverde, Amo do “contrário”, numa época em que eles faziam a disputa no “gogó”, sem microfone. Em meio a vários diplomas, comendas e fotografias de quando apresentava o Boi Caprichoso  e enfrentava o “contrário” na Arena e fora dela como repentista por natureza, com facilidade Sanches explica de onde  tirava os versos.

“Muitos curuminzões que não sabem e  nem vão aprender a brincar de boi não fazem e nem farão o que eu faço. Eu era o homem do desafio, da briga.  Aquele que jogava o Boi do outro na ribanceira, na beira do rio, era o campeão, e o boi de raça chamava-se Caprichoso”, declarou, alfinetando o “contrário”.

Hoje, Wilson Sanches só assiste as apresentações do Caprichoso pela televisão e sonha em um dia  retornar a fazer parte do Caprichoso. Ele ainda cantou toadas que nunca foram gravadas. “De primeiro quando as pessoas queriam saber história do Caprichoso, eles vinham me procurar”, finalizou.

Publicidade
Publicidade