Publicidade
Parintins
AVENTURA NA ILHA

Amizade sincera com Alok e noite de reis do camarote: nossa 1ª Festa dos Visitantes

Tradicional festa que recebe - como o nome sugere - os visitantes da Ilha aconteceu na noite desta quinta-feira. Conseguimos entrevistar o Alok, subir no palco e pegar open food 29/06/2018 às 19:20 - Atualizado em 29/06/2018 às 21:10
Show alok
Foto: Arquivo Pessoal
Felipe Gramajo e Isabella Pina Parintins (AM)

O relógio já marcava onze e tanto da noite quando entrei no quarto para acordar o Felipe aos gritos. O rapaz, contagiado por uma semana inteira de boi-bumbá, quase não tinha forças para levantar. Mas a nossa missão era muito grande. E ó... A gente ia precisar de energia.

A noite de quinta-feira (29) foi de "Festa dos Visitantes". A festa é tradicional e, à primeira impressão, Parintins inteira estava lá no tal do Planeta Boi. Quando chegamos, pegamos o finalzinho da apresentação da dupla sertaneja Zé Neto e Cristiano. O nosso foco era outro: Alok.

Que fique registrado: quando chegamos à festa - e no caminho - falei sobre o DJ internacional para o Felipe, que jurou desconhecer os hits. Bom... Assistam ao vídeo da festa e comprovem a empolgação do rapaz. 

Informações dos bastidores: há algumas semanas combinávamos uma entrevista com Alok no show. Mas, segundo a assessoria, o DJ só falaria com a imprensa ao fim do show. Isto é: lá pelas 3h30. A gente tinha pique, mas... Parecia que não ia rolar.

Assim que chegamos no Planeta Boi corrermos para o camarim dele. Uma fila de fãs e jornalistas impedia com que chegássemos sequer próximos à “barreira” da sala. Mas vocês não contavam com nossa astúcia. Uma furadinha aqui e outra ali, um xaveco no segurança e: conseguimos. 

Rolou entrevista completamente improvisada. Alok é “gringo” como a gente e ainda pediu conselho para escolher qual boi torcer. E aí chegou a hora do show.

Mais um ponto para a nossa cara de pau: conseguimos nos meter na área mais privilegiada do show. Um camarote vip, colado no palco, com direito até a comida liberada. E haja empolgação.

No show rolou, dos grandes hits de Alok até remixes de clássicos do Mamonas Assassinas e Charlie Brown Jr. Teve homenagem a Avicii e funk. A gente animou, viu? Quase esquecemos que estávamos em terra de boi-bumbá.

Show finalizado, cansaço e Parintins inteira em procissão para sair da Baixa (local onde fica a casa de festa). Andamos, sem exagero qualquer, por 5 quilômetros. E ainda tinha pernada para dar. Não tinha triciclo, mototáxi ou qualquer outro meio de transporte improvisado que nos salvasse da experiência de viver o fim da “Festa dos Visitantes”.  Mais uma tradição cumprida com sucesso. Ponto para nós.

Publicidade
Publicidade