Publicidade
Parintins
DE PESO

Artistas de alegorias experientes reforçam time do Boi Garantido no Festival de 2018

Oséas Bentes e Teco Mendes tiveram passagem pelo lado azul e branco e agora retornam às origens 25/06/2018 às 20:22 - Atualizado em 26/06/2018 às 09:06
Show artistas vermelho
Oséas Bentes e Teco Mendes durante os trabalhos no galpão da Cidade Garantido. Foto: Antonio Lima
Rafael Seixas Parintins (AM)

O bom filho a casa torna. A premissa é verdade ao menos no Boi Garantido. A galera da Baixa do São José tem de volta no time os artistas de alegorias Oséas Bentes e Teco Mendes que, respectivamente, passaram 20 e 10 anos do lado azul e branco do Caprichoso. O reforço de peso é para o bumbá do coração emocionar o público com o espetáculo "O Auto da Resistência Cultural" e tentar conquistar o seu 32° título.

Estar no Galpão da Cidade Garantido é uma verdadeira viagem no tempo para Oséas. Ele começou sua carreira com 20 anos de idade, produzindo tuxauas na administração do então presidente Zezinho Faria. Com o tempo, ele foi aprimorando sua arte e fazendo alegorias de lendas e rituais – o último é o seu forte.

“Retornei ao Garantido após mais de 20 anos assumindo um compromisso de fazer um trabalho diferenciado. É um retorno com muita responsabilidade e expectativa porque toda a galera espera um trabalho belíssimo”, disse Oséas, que assina a alegoria Ritual Araweté - O sonho de Kanipaye-RO, inspirada na toada deste ano do Paulinho Dú Sagrado, que será utilizada na primeira noite do 53ª Festival Folclórico de Parintins, marcado para os dias 29 de junho a 1° de julho na Arena do Bumbódromo.

“Esse é um ritual muito bonito. Vamos mostrar toda a letra da música por meio dos efeitos alegóricos. O item pajé vai surgir. Estamos na expectativa que tudo dará certo, afinal estamos preparados. O Garantido vem esse ano, com certeza, resgatar o título. Fico muito feliz de estar de volta e por ter sido bem recebido pela diretoria e Comissão de Artes”, adiantou.

Marca registrada das alegorias de ritual são as cores com tons fortes e chamativos. Também são grandiosas e com muitos elementos de movimentação que geram uma expressividade acentuada. “Sempre na alegoria de ritual o público espera pelos efeitos alegóricos em termo de movimento, iluminação e artificiais, como imitação de fogos e vento. Há uma grande expectativa por parte do público e estou tendo todo o cuidado para ter a resposta positiva da torcida vermelha e branca”, confirma o artista de 55 anos de idade, que comanda desde março de 2018 uma equipe de 20 pessoas.

“Começamos sempre fazendo os projetos de maquete para ter uma ideia de dimensão e elementos robóticos que serão utilizados. Passa então pela avaliação da Comissão de Artes. Após aprovada, trabalhamos a parte de ferragem, depois fazemos o revestimento e na concentração trabalhamos a montagem”.

Filho de peixe, peixinho é

Teco Mendes, filho do artista considerado “mestre dos festivais”, sabe bem o peso do sobrenome que carrega. No seu retorno ao Garantido, após dez anos, ele e o seu pai, Jair Mendes, assinam a alegoria Figura Típica – O Seringueiro. A noite que a obra será apresentada não foi divulgada.

“Tenho pressão por ser filho dele, mas é uma questão mais pessoal. Comecei com ele há vários anos, mas todos os artistas daqui são meus amigos. Saí daqui, passei dez anos no Caprichoso, e agora estou retornando. A pressão é juntamente com a vontade de mostrar trabalho. Mesmo sendo filho dele, acredito que todos aqui [galpão da Cidade Garantido] são bons e do mesmo nível. Não falo só do Garantido, como também do Caprichoso. Parintins é uma terra rica de artistas”, opinou Teco Mendes, de 45 anos de idade.

Apesar da pressão, Teco não procura pensar muito no quesito expectativa. O motivo: ele diz que ficaria “preso” [artisticamente] pensando nisso. E é preciso ter a mente limpa para se concentrar nos empecilhos que acontecem no dia a dia. Não é fácil pelo que relatam, mas o amor pelo boi é maior do que tudo.

“A gente bola o serviço, mas, às vezes, acontecem imprevistos. Por exemplo, esse ano choveu muito e tivemos que fazer diversas adaptações. O artista procura fazer o melhor sempre. Todos fizeram adaptações por conta do tempo. O trabalho sofre mudanças, não drásticas, para ser mais rápido e prático”, explica Teco, que faz um pouco de tudo junto com a sua equipe de 18 pessoas para levar o melhor do Boi Garantido para a Arena do Bumbódromo.

Publicidade
Publicidade