Publicidade
Parintins
FESTIVAL

Mais de 22 mil pessoas saíram de Manaus e Itacoatiara com destino a Parintins

A Marinha do Brasil registrou número recorde de embarcações atracadas no Porto Municipal de Parintins. Em relação a passageiros, o número aumentou em 31% 30/06/2018 às 17:40
Show foto agora partiu
Neste ano, 19.577 passageiros saíram de Manaus para o município de Parintins (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Amanda Guimarães Parintins (AM)

Mais de 22 mil pessoas saíram de Manaus e da cidade de Itacoatiara com destino ao município de Parintins, no interior do Amazonas, durante o Festival Folclórico 2018. A Capitania Fluvial da Amazônica Ocidental (CFAOC) registrou um aumento de 31% de passageiros, em relação ao ano passado.

O número de embarcações atracadas no Porto Municipal de Parintins também cresceu. A Agência Fluvial de Parintins registrou 385 embarcações paradas no local durante este período. Segundo a CFAOC, o número é recorde.

O capitão de mar e guerra, comandante da Capitania dos Portos da Amazônia Ocidental, Welliton Lopes, informou que a Operação Parintins 2018 começou com o recebimento das solicitações das Vistoriais Especiais para a concessão do “PASSE”, para as embarcações que trafegaram pelo trecho Manaus, no Amazonas, para Juriti, no Pará.

“Ano passado tivemos 151 embarcações que protocolaram o pedido do PASSE. Apenas 132 foram aprovados. Este ano recebemos mais de 220 protocolos e no final tivemos a aprovação de 196 embarcações. Tivemos neste quesito um aumento substancial”, explicou o comandante.

 Neste ano, cerca de 19.577 passageiros saíram de Manaus, enquanto cerca de 2.508 de Itacoatiara, com destino ao município de Parintins. “Tivemos um número elevado de pessoas vindo de Manaus e Itacoatiara. Mas veio muitas embarcações de outros locais, fora da nossa jurisdição, como Santarém. Registramos 385 embarcações atracadas aqui. Um número recorde”, afirmou o representante do CFAOC.

Durante a Operação Parintins 2018, a Marinha do Brasil atua em três pontos de fiscalização: um no Encontro das Águas dos Rio Negro e Solimões, e outros dois nas Barreiras de Inspeção Naval em Itacoatiara e Parintins.

“Estamos fazendo um acompanhamento com as embarcações. Enquanto elas estão aqui, vamos continuar com a estrutura de controle. Porque quando acabar o festival, 80% dos passageiros vão querer irem para suas casas”, disse.

Até o momento, a Marinha do Brasil não registrou ocorrências sérias durante a Operação. Cerca de 400 militares, dos navios de assistência hospitalar, de aeronave e até embarcações fluviais participam das atividades.

“Registramos até o momento ocorrências simples com as embarcações. A maioria por falta de acessórios. Mas fizemos fiscalizações na saída do próprio Porto de Manaus. Os passageiros devem ficar atentos quanto a capacidade das embarcações”, completou o comandante da Marinha.

Publicidade
Publicidade