Publicidade
Parintins
GARRA VERMELHA

Com evolução do Pajé, Garantido fecha apresentação no Festival de Parintins 2018

André Nascimento, carinhosamente chamado pela galera vermelha e branca de Pajé dos Pajés, completou duas décadas defendendo o item nº 12 01/07/2018 às 23:10
Show paj  123
Foto: Euzivaldo Queiroz
acritica.com Parintins (AM)

A alegoria Poracê, que não havia entrado na Arena do Bumbódromo durante a Celebração Folclórica, se uniu com a obra Kuarup - A Festa dos Mortos, Ritual Indígena que encerrou os trabalhos do boi-bumbá Garantido, nesse domingo (1º), no Festival Folclórico de Parintins 2018. A apresentação durou 2 horas e 28 minutos.

O ritual comandado pelo Pajé André Nascimento – que completou 20 anos à frente do item nº 12 – é bastante emblemático e foi realizado pelas etnias da área cultural do Alto Xingu. Mavutsinim, primeiro pajé e herói mítico do povo xinguano, quis reviver seus mortos e, em uma noite de lua cheia, tentou ressuscitá-los em troncos da árvore Kuarup, pintados e enfeitados como se fossem gente, com penachos coloridos e de algodão.

A partir da caracterização das árvores, durante o ritual, aos poucos, os troncos se transformavam nos corpos dos índios mortos. A alegoria traz estruturas de indígenas com onças e falcões na cabeça, soprando as flautas de ressurreição dos mortos indígenas.

Publicidade
Publicidade