Publicidade
Parintins
AQUECIMENTO

Com homenagens a militantes afro e Ivo Meirelles, Festa dos Visitantes agita a Baixa

O homenageado da noite foi o babalorixá Ivanir dos Santos. Ivanir é um dos representantes de movimentos contra a intolerância religiosa mais renomados do Brasil e foi chamado pelo boi Garantido para dar uma consultoria sobre a cultura e religião afro 28/06/2018 às 01:48
Show  asl9026
(Fotos: Antonio Lima)
Laynna Feitoza Parintins (AM)

Os visitantes da Ilha Tupinambarana estiveram em peso na festa que o boi Garantido destinou a eles na noite desta quarta (27), no Curral do bumbá vermelho e branco. A noite foi marcada pela nostalgia das toadas antigas, por homenagens aos colaboradores do boi e por gente que foi “tietar” o boi Garantido e acabou tietado, a exemplo do cantor carioca Ivo Meirelles.

O grupo “Toada de Roda” abriu os trabalhos com as toadas clássicas do bumbá vermelho e branco. Quem estava acompanhando a festa era o dançarino Washington Silva, membro da equipe do coreógrafo Patrick Carvalho, que dará um reforço na apresentação da primeira noite do boi com performances voltadas para a cultura afro. Ele está há duas semanas em Parintins ensaiando para o número e se surpreendeu com o carinho recebido.

Washington estava na linha central da performance realizada durante o ensaio técnico do Garantido no Bumbódromo. “Eu tô em Parintins a trabalho e quando cheguei na cidade fiquei com receio por ser uma cultura diferente. Ao chegar aqui, vi o quanto as pessoas são receptivas. O mais impressionante é o amor que recebo do Garantido. Foi lindo, foi mágico. Todo mundo que vem pra ilha diz que não quer mais voltar”, comenta ele.

Reconhecimento

Recém-chegado a Parintins, o babalorixá carioca Ivanir dos Santos foi homenageado pelos membros do boi Garantido no palco. Ao som da cantora Márcia Siqueira, o corpo técnico do bumbá o presenteou com um boizinho de pano. Ivanir é um dos representantes de movimentos contra a intolerância religiosa mais renomados do Brasil e foi chamado pelo boi Garantido para dar uma consultoria sobre a cultura e religião afro ao bumbá vermelho, que apresenta como tema a resistência cultural.

Honrado com a homenagem, Ivanir falou sobre a importância das culturas afro e indígena dialogarem juntas no Festival Folclórico de Parintins. “São assuntos que sempre foram muito importantes, e hoje mais ainda. A intolerância religiosa é uma ameaça à cultura popular, ao samba do Rio de Janeiro e ao boi-bumbá aqui do Amazonas. Acho que o fato de você ter um boi com uma expressão indígena, que traz esse tema para dentro, é um grande achado”, ponderou ele.

De acordo com Santos, os praticantes de intolerância religiosa são, em sua maioria, grupos não-petencostais que “só falam daquilo que acreditam”. “Construíram um anarrativa extremamente racista que não tem a ver com o sagrado, tem a ver com o preconceito dessas pessoas. A sociedade precisa acordar. Acontece o mesmo com o forró no Nordeste. As festas de São João estão sendo atacadas. Nossas festas populares tem que começar a levantar essa bandeira como forma de respeito à diversidade”, afirmou Ivanir.

Tiete

O cantor Ivo Meirelles, um dos compositores da toada “Perrechés do Brasil” chegou ao Curral do Garantido rodeado por pessoas que queriam tirar uma foto com o artista. Mas, segundo ele, estava ali apenas para tietar o seu boi do coração. Ivo, por sua vez, não cantou a sua toada famosa na festa e afirmou que não vai cantá-la no festival folclórico. “Vou ‘descer’ como ‘desço’ todos os anos para tietar o Garantido”, colocou ele, fazendo referência ao Carnaval carioca. Meirelles aproveitou para celebrar o sucesso da toada. “A repercussão está maravilhosa, estou muito feliz por ter ajudado na divulgação do festival”, finalizou.

Publicidade
Publicidade