Publicidade
Parintins
LEGADO CONTINUA

Crianças cultivam o sonho de se tornarem itens dos Bois Garantido e Caprichoso

Aysha Victória, de 3 anos, e Eduardo Valente, de 10 anos, devem manter o legado de mais de 50 anos do Festival Folclórico de Parintins 27/06/2018 às 09:33 - Atualizado em 27/06/2018 às 09:39
Show animais 122222
Pequenos paritinenses devem ser os itens do futuro de uma das manifestações culturais mais bonitas do planeta (Fotos: Antônio Lima)
Amanda Guimarães Parintins (AM)

O Festival Folclórico de Parintins tem mais de 50 anos de história. Considerado uma das manifestações culturais mais bonitas do planeta, o amor pelos bois ultrapassou diversas gerações e continua encantando milhares de pessoas todos os anos. Olhando para o futuro, os amantes do festival podem ficar tranquilos, pois existem pequenos parintinenses que devem manter o legado de disputa entre o Caprichoso e Garantido. 

Com 3 anos, a pequena Aysha Victória Vieira, demonstra amor pelo Boi Garantido e sonha em se transformar no item de Sinhazinha da Fazenda. A mãe dela, Sasquia Vieira, de 22 anos, conta que a criança sempre teve intimidade com o Boi do Povão.

 “A minha família é toda Garantido, mas o restante da família do meu pai é toda do Contrário. O amor da Aysha pelo Garantido começou de repente. A segunda palavra que ela falou com dez meses de idade foi “Boi”. Assim, foi crescendo e desenvolvendo ainda mais essa paixão. Hoje, quando ela enxerga qualquer coisa do Contrário, olha para o lado e diz que é feio”, comentou a mãe da garota.

 

Aysha recebeu a equipe de reportagem a caráter de Sinhazinha da Fazenda, com um vestido vermelho e uma sobrinha que trazia um pequeno Boi Garantido. De forma tímida e não querendo falar muito, a criança cantava músicas do Boi do seu coração.

“É surpreendente como a Aysha tomou o amor pelo Garantido para si. Nós nunca vamos saber o que se passa na cabeça de uma criança. Não sabia como ela reagiria a essa cultura. Mas a minha filha escolheu por si só o Garantido. Não foi influência minha. Quero que ela seja o que quiser”, destacou Sasquia.

A mãe de Aysha conta que a criança já demonstrou interesse de defender um item oficial pelo Boi Garantido. Na última semana em uma festa na escola, a criança se vestiu de Sinhazinha e arrasou na dança. “Ela falou desde o inicio do ano que queria ser a Sinhazinha do Boi Garantido em uma programação da escola. Nessa sexta-feira, durante a festa, ela deu um show na apresentação. A minha irmã queria que ela fosse cunhã-poranga, mas ela disse que quer ser Sinhazinha”, comentou.

Ciúme do Boi Garantido

Por conta da pouca idade, Aysha não participa muito das festas oficiais do Boi Garantido. Mas assim que pode, a mãe leva a criança para eventos na Cidade do Boi do Povão. “Ela nunca assistiu o Festival, porque não é permitida a entrada de crianças. Mas ela participou do Boi de Rua e beijou o Garantido. Ela tem ciúme dele, não gosta que outras pessoas tirem fotos. No carro, ela só quer escutar toadas”, disse.

Durante a entrevista, a pequena se animou quando a mãe colocou no celular uma toada do Boi Garantido. Ela dançou e mandou beijos como Sinhazinha da Fazenda.

Sonho de ser Amo do Boi Caprichoso

Do outro lado, os torcedores do Boi Caprichoso podem ficar tranquilos. Se depender de Eduardo Valente, de 10 anos, o legado vai continuar. O garoto sonha em se tornar o Amo do Boi e ele não vai desistir disso.

Com uma camiseta do Touro Negro, ao lado dos pais Eliedson Farias, de 26 anos, e Priscila Valente, de 33 anos, que também torcem para o Caprichoso, o menino conta que foi inserido no mundo dos Bois desde cedo. Ele recebeu a equipe de reportagem com um chapéu típico do Amo do Boi e um berrante. 

“Os meus pais sempre me levaram para os ensaios e eventos do Caprichoso. Eles compravam as camisas e os DVDs. Isso me motivava a ser mais um torcedor. Quando vejo o Contrário quero que ele se afaste de mim”, afirmou Eduardo, de 10 anos.

O garoto que atualmente defende o item de Amo de Boi em festas da própria escola, não esconde a emoção em falar do futuro no Boi Caprichoso. “Eu quero ser o Amo do Boi Caprichoso. Sei que a cada dia vou melhorar. Vai chegar uma hora que vou conseguir o que quero. Se não conseguir, vou tentar até conseguir”, destacou o menino. 

Família toda Caprichosa

 Eduardo, de 10 anos, participa de vários eventos do Caprichoso acompanhado da família. “Ele (Eduardo) viu o Caprichoso pela primeira vez quando tinha apenas quatro meses, durante um Boi de Rua. Na ocasião, ele tirou uma foto com o Boi e alguns itens. Desde lá, o amor não mudou”, relatou a “mamãe” do garoto.

Como a pequena Aysha, a família de Eduardo investirá no sonho dele. “Falei que como ele tem esse sonho, precisa fazer aula de música e estudar inglês. Como ele quer, vamos correr atrás. Não vai faltar apoio por parte de nós”, disse a mãe de Eduardo, acrescentando que fica feliz ao saber que o filho vai manter o legado do Boi do seu coração.

“Fico muito feliz com esse desejo dele, porque sei que a nossa cultura vai continuar passando de geração em geração. As crianças são o futuro e elas se tornarão grandes itens”, finalizou Priscila.

Publicidade
Publicidade