Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019
BELEZA E FORÇA

Cunhã-Poranga do Caprichoso mostra força da índia guerreira na 1ª noite de Festival

Marciele Albuquerque defende o item desde 2017. Ela surgiu da alegoria “Terra, mãe ancestral”



cunh__-_m_rcio.JPG Fotos: Euzivaldo Queiroz
29/06/2018 às 22:31

O Boi Caprichoso veio com tudo para tentar o bicampeonato. A aparição da Cunhã-Poranga Marciele Albuquerque levou a nação e branca ao estado de êxtase. A item n° 9 evoluiu e traduziu realmente a força de todas as mulheres indígenas, que através dos tempos, vem resistindo contra as forças que tentam esmagar a cultura de seus ancestrais. Ela surgiu da alegoria “Terra, mãe ancestral”, assinada pelo artista Nei Meireles e equipe, que trouxe divindades femininas importantes das culturas de diversas partes do planeta. Confira aqui a 1° noite de festival. 

A evolução do Touro Negro ao som da toada “Campeão na Evolução” no 53° Festival Folclórico de Parintins fez a galera vibrar bastante. O Tripa Alexandre Azevedo mostrou que herdou o talento do pai, Markinhos Azevedo, que durante anos ficou à frente do item n° 10 do bumbá da estrela.



A Sinhazinha da Fazenda, Valentina Cid, reverenciou a força popular do “Auto do Boi de Parintins”. Na tecedura que amalgamou a brincadeira do boi no Brasil, ela representa a cultura do branco colonizador. Em Parintins, Valentina Cid, descendente de Roque Cid, fundador do Caprichoso. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.