Publicidade
Parintins
VISITA

Parintins cria expectativa para receber maior taxa de estrangeiros na história do festival

Número destoa das últimas médias, que não ultrapassavam 7% de turistas internacionais na Ilha. Subsecretária de turismo explica "boom" nos números 23/06/2018 às 16:29 - Atualizado em 23/06/2018 às 18:59
Show sem t tulo
100 mil visitantes são esperados para acompanhar o festival de 2018 (Euzivaldo Queiroz)
Isabella Pina Parintins (AM)

"O maior festival de todos os tempos". É assim que o prefeito de Parintins,Bi Garcia, define suas expectativas para a 53ª edição do Fesltival Folclórico. Para este ano, são esperados 100 mil visitantes na ilha. Destes, impressionantes 25% são turistas estrangeiros. O número é recorde para a festa.

No total, para 2018, a prefeitura de Parintins, em alinhamento com a secretaria de turismo, cria a expectativa e se prepara para receber 30 mil turistas a mais que a última edição do Festival. 

Segundo a subsecretária de turismo, Karla Viana, nos últimos anos, a média não passava de 7% de "gringos" na Ilha Tupinambarana. Apenas em 2011 houve número mais marcante. Foi um ano em que a secretaria passou a investir em divulgação do festival no exterior.

"Foi um número alto em 2011 e depois tivemos uma grande queda. Este ano (2018), com certeza, é o de maior expectativa. No ano passado, por exemplo, a média foi uma dessas baixas, de 6%. Ainda assim, destes, que eu pude conversar, prometeram que voltariam nesta edição. Criamos uma fidelidade" conta Karla.

Estes 25% esperados se dividem entre visitantes da Ásia, Europa, Canadá e Estados Unidos. Com proporções muito parecidas, garante a subsecretária.

O prefeito Bi Garcia, se empolga com os números e faz questão de anunciar que a ilha está em reta final de preparação para receber os números calculados. 

"Nós estamos preparando a cidade para grande evento. investimos na parte turística, e num todo. A cidade está preparada para receber o que, eu considero, o maior festival de todos os tempos. Praticamente todos os ingressos foram vendidos. Também dobramos o número de voos no aeroporto de Parintins", diz Bi Garcia. 

A promessa é de que a edição de 2018 reviva os áureos tempos dos festivais da década de 90. Deixando para trás o declínio que Parintins enfrentou nos últimos dois anos, especialmente em 2016, ano em  que o Governo do Amazonas deixou de apoiar financeiramente o festival. 

"Esse será um grande festival, que volta a ser um daqueles que aconteciam na década de 90, que foi revitalizado em 2006 quando mudamos datas e regulamentos. Tivemos decline em 2015 e 2016. Em 2017 já melhoramos e agora, em 2018, vamos ter reflexo de fazer um grande festival", finaliza. 

Publicidade
Publicidade