Segunda-feira, 03 de Agosto de 2020
DIVIDIDA

Rai Góes: alma Caprichoso e a saudade do seu amor Garantido

Ex-artista do Touro Negro, ela foi casada com ex-presidente do Garantido, que faleceu há 15 anos. Com o coração dividido e a saudade presente, ela evita até ir ao Bumbódromo



WhatsApp_Image_2019-06-29_at_18.39.11_47A0824D-AE59-47A8-A15B-105CDF79B1E0.jpeg (Foto: Carlos Alexandre)

Se no amor os opostos se atraem, em Parintins, no mês de junho, é momento de divisão. No período bovino, famílias se dividem, amigos se afastam, até namorados se separam, pelas suas preferências bovinas. A própria cidade é dividida ao meio entre vermelho e azul, com um marco zero de divisão, a Catedral de Nossa Senhora do Carmo.

Em meio às histórias de contrários divididos, a de Raimunda Maria Brandão Góes, 71, e Raul Góes Filho, falecido há 15 anos, é uma das mais lindas declarações de amor eterno entre o coração vermelho e a estrela azul. 



Rai Góes, como é conhecida na ilha dos bumbás, é viúva do ex-presidente do Boi Garantido Raul Góes. Ela sócia, artista e apaixonada pelo Boi Caprichoso. Ele era sócio torcedor apaixonado e presidente do Boi da Baixa do São José, no período de 1999 e 2000. 

Na tarde de sexta-feira, 28 de junho, Rai Góes passeava por entre as alegorias do Garantido, na praça dos Bois, e ao ser abordada pela reportagem sobre o significado daquele momento.  Ela não conteve as lágrimas e respondeu: “Eu não consigo separar Garantido e Raul, pra mim é Raul e Garantido sempre”, disse emocionada. 

Dona Rai prossegue assegurando que o respeito às preferências de cada um era recíproco entre os dois. “Eu sempre respeitei porque Raul tem raízes, nunca discutimos por causa disso, nós nos respeitávamos muito nesse sentido. É uma história de amor verdadeiro entre nós, o Caprichoso e o Garantido”, frisou. 

Quando Raul Góes se tornou presidente do Garantido, ela passou acompanhá-lo como primeira dama do Boi da Baixa e foi artista durante 8 anos. Depois que o marido faleceu, ela passou a trabalhar como artista do Boi Caprichoso, onde também atuou por 8 anos e só parou porque um dos filhos ficou doente. 

Dividida entre o amor e a saudade, dona Rai não assiste o Festival no bumbódromo. “No Bumbódromo parece que vou vê-lo ali na arena”, conta. 

Em 2018, dona Rai Góes foi homenageada pelo Boi Caprichoso  ao emprestar seu nome ao Centro de Costura do Bumbá. Também em 2018 Raul Góes foi homenageado emprestando seu nome ao Centro administrativo do Garantido. Ela esteve presente nos dois eventos e foi homenageada nos dois bois.

Raul esteve presente com ela nos dois eventos, como um amor vermelho no coração azul de dona Rai. E, como deve ser em uma história de amor eterno, todas as vezes que Raimunda Brandão Góes estiver visitando os bastidores do Boi Garantido, estará revivendo também a alegria do marido Raul Góes Filho.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.