Sábado, 20 de Julho de 2019
MISTURA

Fusão do azul e do vermelho, roxo é 'disputado' por Caprichoso e Garantido

Cor é usada pelos dois bois, que aproveitam estratégias de luz para explorar a tonalidade que mais favorece cada um; veja o que pensam torcedores



ACEGALPAOCAPRIJA0129_9021FCD8-6E73-4D5B-A171-E82817E9F550.JPG (Foto: Jair Araújo)
26/06/2019 às 21:02

Se você já experimentou misturar o azul e o vermelho sabe que o resultado é o roxo. As duas cores são primárias e, assim como o verde, dão origem a uma enorme paleta de cores.  Mas, como usar essa coloração roxa que já foi a cor de 2018 pela Pantone, no Festival Folclórico, onde o vermelho e azul são proibidos nos bois contrários?

O segredo está nas variações de tons e na iluminação que será usada quando os carros alegóricos, figurinos e adereços forem usados no Bumbódromo, segundo os artistas responsáveis.

O Caprichoso, por exemplo, terá o roxo nos adereços da Cunhã- Poranga e do Pajé, como adiantou o artista responsável Estêvão Gomes. O regulamento do touro negro não permite a utilização da cor vermelha, a não ser em casos em que ele não possa ser substituído, como na representação de sangue.

“O regulamento permite magenta e maravilha, que é o rosa-choque. Acho que o roxo puxa mais para o azul, por ser uma cor fria. Acho que ele, por si só, dá o recado, mas se usar uma iluminação para o branco, para a cor clara, ele parece mais avermelhado. Se for usado com luz negra ele fica mais roxo, por isso que na nossa apresentação a luz negra impera, justamente para destacar esses pontos pensados”, explica o artista.

Já no Garantido, o regulamento proíbe o uso da cor azul em toda a parte artística. Dessa forma, as variações de roxo tendem a ser mais avermelhadas, indo para o violeta e lilás, por exemplo.

“Quando a gente joga a luz, ela se transforma em outra cor, mesmo as que parecem ser azuladas na luz natural, vira uma cor mais alaranjada com a luz fria. A gente pinta pensando na luz do Bumbódromo, nos fogos que são usados e tudo isso influencia na cor que é vista nas apresentações. Temos roxo em muitos pontos aqui”, diz Pingo Souza, artista de ponta do boi encarnado.

O que a galera pensa

O sentimento quanto ao uso da mistura de cores também divide a opinião dos brincantes de ambos os bois. Para a autônoma Maria Aparecida (48), simpatizante do Caprichoso, a cor tende a puxar para o azul e que não vê problemas em alegorias que usem o roxo. Quanto a presença da cor na roupa da galera, para ela não é um problema.

“Mesmo que ainda tenha muita rivalidade e tradição eu acho que se a pessoa quiser ir de roxo não tem problema. Todos os anos eu vou para a arquibancada e já vi casos piores que não deram tanta confusão assim. Acho que as pessoas estão um pouco mais tolerantes”, diz a torcedora do boi da francesa.

Já para o tricicleiro Ezequiel Silva (39), torcedor do Garantido, o roxo está mais para o lado do vermelho e a justificativa é criativa. “O roxo está mais para o vermelho. Pensa aí, quando você se machuca e fica um roxo no braço é o que? O sangue preso ali. E qual a cor do sangue? Vermelho. O roxo faz parte do sangue do torcedor do Garantido”, diz o tricicleiro aos risos.

Receba Novidades

* campo obrigatório
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.