Publicidade
Parintins
GALERA

Estoque de alimentos e revezamento: as estratégias para encarar filas da galera

Este ano, integrantes das galeras do Touro Negro e Boi do Povão montaram estratégias já conhecidas para não perderem as posições nas disputadas arquibancadas do item 19 29/06/2018 às 13:52
Show torcidas
Torcedores dos bois de Parintins formam filas desde quarta-feira (27) (Foto: Amanda Guimarães)
Amanda Guimarães Parintins (AM)

Tradicionalmente, centenas de torcedores do Boi Caprichoso e Garantido formam filas aos arredores do Bumbódromo, no município de Parintins, para garantir uma visão privilegiada do Festival Folclórico. Este ano, integrantes das galeras do Touro Negro e Boi do Povão montaram estratégias já conhecidas para não perderem as posições nas fileiras, como revezamento de pessoas e até estoque de alimentos.

A desempregada, Socorro Máximino, 55, chegou à fila do Boi Garantido ainda nessa quarta-feira (27). Ela conta que há 19 anos monta estratégias ao lado de colegas para conseguir ficar em um local especial dentro do Bumbódromo.

“Há 19 anos fico nessa fila e todas às vezes monto estratégias para garantir o meu lugar na galera do Garantido. Ficamos revezando a ida e vinda de pessoas. Enquanto a minha colega vai em casa descansar, fico aqui. Também pegamos estoques de alimentos, como água e tudo aquilo que servir”, disse a desempregada.

Socorro também acredita que todo esforço na fila do Boi do Povão valerá a pena com a vitória do Garantido no Festival Folclórico 2018. A mulher foi a primeira a chegar ao local.

 “Minha animação nesta fila é beleza, porque a nossa galera é show. Eu amo muito participar de tudo isso. Se eu não vier para a fila, não tem graça, sabe. Sei que tudo será recompensado quando ganharmos este ano”, afirmou Socorro.

O segundo posicionado na fila do Garantido, o professor de educação física Jean Marques, 24, comentou que chegou ao local por volta das 17h30 dessa quinta-feira (28). Mesmo passando dificuldades para participar do Festival de Parintins, ele comenta da alegria de prestigiar mais um ano da galera do Boi do Povão.

“Fazia três anos que não vinha para o Festival de Parintins, mas este ano decidi participar e ficar na galera. Vim cedo para a fila, para não perder nenhum minuto da apresentação. Estou fazendo revezamento com meus amigos. Mas aqui a nossa galera tem se tornado uma família”, comentou.

Torcida do Touro Negro

No lado azul, na torcida do Caprichoso, a estudante Cristiane Rodrigues, 38, chegou aos arredores do Bumbódromo na noite de ontem. Como os outros torcedores, a mulher conta que faz revezamento com amigos.

“Passei a madrugada aqui e minha colega foi para casa descansar. Não consegui pregar o meu olho, porque ficamos conversando. Trouxemos alimentos para que nada nos falte debaixo desse sol intenso. Até chegamos a colocar redes, mas pediram para gente tirar depois”, relatou.

Questionada se vale a pena ficar na fila, a estudante destaca que acredita no bicampeonato do Touro Negro. “Todo o cansaço de ficar aqui é recompensado quando entramos na Arena e pegamos um local privilegiado. O Caprichoso será campeão e vamos ganhar pela galera no oitavo ano consecutivo”, disse.

Com 56 anos, a aposentada Silvana Lima, levou até pedaços de papelões para descansar na fila. “Venho para essa fila há mais de 20 anos. O Caprichoso não tem chance de ser campeão, ele será o bicampeão. Trazemos água e lanche para garantirmos os nossos locais. Vai valer muito a pena”, completou.

Publicidade
Publicidade