Terça-feira, 11 de Agosto de 2020
FANÁTICOS

Trio vai enfrentar quase quarenta horas de fila para ver o Garantido

Membros da torcida 'Mancha Vermelha' amanheceram na fila do Bumbódromo na manhã desta quinta-feira, honrando tradição que se repete há anos



WhatsApp_Image_2019-06-27_at_11.00.50_630CBB74-652A-44AB-9D43-102AE0337760.jpeg Foto: Euzivaldo Queiroz
27/06/2019 às 12:09

Amor de torcedor é um sentimento que não pode ser explicado. É algo que brota do fundo da alma e invade o corpo. E é esse sentimento avassalador que motiva os amigos Wandrezza Karen dos Santos, 30, Rodrigo Reis dos Santos, 15, e Maria do Socorro Maxino, 56, a serem os primeiros na fila para o acesso ao Bumbódromo, um dia antes da abertura dos portões. Os três fazem parte da torcida Mancha Vermelha, O Louco Torcedor. E são verdadeiros fanáticos pelo Garantido.

O trio repete o ritual há 20 anos e pretendem manter a tradição por outros 40 anos, 60 anos, afirmou a cozinheira Maria do Socorro. “Todos os anos já me preparo e faço minhas economias para poder vir ao Festival ajudar o meu boi”, ressaltou.



Para Wandrezza, que trabalha como babá em Manaus, o sentimento é o mesmo pelo boi vermelho e branco. “Sou daqui (Parintins) e volto todos os anos durante o Festival para ajudar o Garantido. Sou item, sou Galera e posso fazer a diferença na conquista do título”, explicou.

Rodrigo é o mais jovem do grupo, mas seu amor é tão grande quanto os das veteranas torcedoras. “Adoro o Garantido e faço de tudo para estar aqui e ver esse espetáculo de perto”, disse o estudante.

Wandrezza lembra dos malarismos que precisa fazer ao longo do ano para vir ao Festival. “A gente trabalha dobrado, acumula folgas e quando não consegue nada disso...a gente chora, e chora muito para vir até a ilha”, comenta, entre risos. “Ser torcedor é isso: fazer loucuras pela sua paixão e levar o amor pelo Boi ao seu máximo”, completou Maria do Socorro. A cozinheira garante continuar realizando esse ritual mesmo quando não puder mais andar. “Venho nem que seja apoiada em bengala”, destacou.

Solidariedade

Para aguentar a maratona de espera na fila o trio de apaixonados conta com ajuda dos demais membros da torcida, que sempre levam alimentos e água para o grupo. “Os amigos vêm e deixam lanche, água, refrigerante e assim vamos levando. O que parece sacrifício ou loucura para uns é pura alegria para nós”, definiu Wandrezza.

Vendas

Para ajudar na alimentação Wandrezza também comercializa “lembrancinhas” do Boi Garantido. Ela vende brincos, tiaras entre outros adereços. “Vamos vendendo essas coisinhas e assim vamos levando nesses três dias dessa festa maravilhosa”, ressaltou a apaixonada torcedora.

News img 3359 fc0997b7 5d55 4eeb ae15 98c46b0d43d9
Jornalista de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.