Terça-feira, 12 de Novembro de 2019
histórico!

Agatha e Barbara derrotam lenda do vôlei de praia e estão na final olímpica

Kerri Walsh, que fazia dupla com April Ross, nunca havia perdido um jogo em Olimpíadas



agatha.jpg Bárbara esteve em um dia inspirado e teve momentos importantes no ataque e no bloqueio (Foto: Rio 2016)
17/08/2016 às 00:51

Ágatha e Bárbara eram a última esperança de uma dupla brasileira na final do vôlei de praia, mas no caminho delas tinha a dupla das norte-americanas Ross e Kerri Walsh, tricampeã Olímpica e grande favorita ao ouro no Rio de Janeiro. Não seria fácil vencer uma atleta que não sabe o que é perder em Jogos Olímpicos, mas a boa atuação da dupla brasileira fez com que a americana conhecesse o primeiro revés. Por 2 sets a 0, parciais de 22 a 20 e 21 a 18, as brasileiras não só venceram, como também garantiram uma medalha para o Brasil.

A final será nesta quarta (17), às 22h59, horário de Manaus, contra as alemãs Ludwig e Walkenhorst, que derrotaram Larissa e Talita.



Concentradas, as brasileiras entraram em quadra pensando em seguir a tática montada para a partida. Aliado a isso, também tinha a garra de não deixar nenhuma bola se perder, ou morrer na sua quadra sem que antes houvesse uma tentativa de defesa. O foco estava na atuação delas e não em quem estava do outro lado da rede. “Nosso objetivo sempre foi focar em nós duas porque se a gente entrasse nesse favoritismo, a gente já começava perdendo. Então vamos focar no nosso, que é o mais importante e só assim a gente vai ter alguma chance de ganhar das meninas. Foi isso o que a gente fez e acho que foi a primeira coisa para pensar na prática, na técnica e o que tinha que fazer contra elas”, disse Ágatha.

E com essa concentração, as brasileiras deram trabalho. Abriram o placar, mas a partida seguia equilibrada. Até que com um ace de Bárbara e um erro das americanas, as donas da casa passaram à frente e chegaram a abrir 9 a 6 no placar. Mas do outro lado, as americanas foram valentes e conseguiram virar o jogo para 12 a 12, porém as brasileiras não deixavam que vantagens fossem abertas mesmo quando as adversárias fizeram 15 a 14. Hora de pedir tempo técnico e esfriar a cabeça. A conversa deu certo e o Brasil voltou mais forte para empatar e virar a partida. Baŕbara, com um ace fechou o set em 22 a 20.

No segundo set, as brasileiras parecem ter aprendido os pontos mais frágeis da dupla americana, o que tornou jogo mais fácil. Outro trunfo das brasileiras foi o bloqueio de Ágatha, que conseguiu bloquear duas vezes seguidas para abrir 6 a 2. Precisando ganhar, as americanas começaram a errar mais. Ao mesmo tempo, as meninas do Brasil cresceram na partida e conseguiram fechar o segundo set em 21 a 18. Festa na Arena do Vôlei, em Copacabana, com as jogadoras correndo para a torcida para receber toda a energia dos brasileiros.

“Foi o melhor jogo contra elas, com certeza. É difícil falar se é o melhor jogo da carreira, posso falar que foi um dos jogos que nós estivemos mais focadas. Não tinha bola que a gente deixou de acreditar. Então acho que esse nível de concentração a gente tá aumentando em cada jogo”, completou Ágatha.

 

 

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.