Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Handebol Feminino

Ana Paula elogia defesa brasileira e diz que teria medo se fosse jogar contra o Brasil

A central do time brasileiro foi a artilheira do Brasil na partida, mas disse que o destaque não é dela



ana_paula_belo.jpg Apesar dos 12 gols, a jogadora disse que jogou normalmente (Foto:Divulgação)
06/08/2016 às 19:13

Na vitória do Brasil sobre a Noruega, a central da seleção feminina de handebol, Ana Paula, foi o destaque ao fazer 12 dos 31 pontos marcados pela seleção brasileira na vitória por 31 a 27. Apesar de ter se destacado na partida deste sábado (6), a jogadora diz que a vitória se deve à atuação da equipe e não exclusivamente a dela.

“Eu não acho que a gente ganhou por uma grande atuação minha. Eu acho que a gente ganhou por uma grande atuação da defesa, que foi o grande destaque do jogo. A gente defendeu muito bem. Eu até falei que eu tinha medo hoje de atacar contra a defesa do Brasil se eu tivesse que jogar contra a defesa do Brasil”, disse após a partida.

Para ela a atuação do grupo foi grande, mas avaliando o próprio desempenho, ela é mais modesta e diz que jogou normalmente e que aconteceu de hoje acabar sobrando mais bolas para ela marcar gols.

“Normalmente eu tento jogar assim. Eu acho que as pessoas estão achando que eu fui destaque por ter feito mais gols. Normalmente eu faço mais passes do que gol. Geralmente as pessoas vêem isso, ninguém vê quem faz o passe, acho que por isso que todo mundo tá com isso na cabeça que eu fiz uma grande atuação por ter feito muitos gols. Para mim foi um jogo normal, jogou todo mundo junto. Talvez sobrou mais bolas para eu arremessar do que nos outros jogos”, explicou.

Além da boa atuação da equipe, Ana Paula não hesitou em afirmar que a torcida brasileira que compareceu na Arena do Futuro, jogou junto com o time e ajudou a equipe. “Foi lindo de ver. A torcida realmente tá jogando com a gente e é muito bom sentir isso, essa energia positiva e estar jogando na nossa casa e ver que tá todo mundo acreditando na gente”, declarou a jogadora que era uma das que mais vibravam em quadra a cada gol brasileiro que saía.

A gente já entrou na quadra com isso na cabeça, que a gente tinha que vibrar a cada ataque a cada defesa a cada gol, as com certeza a torcida ajudou muito ate faleiq ue teve um momenot que me marcou muito no jogo foi na hora que a Dani fez um golaço, todo mundo levantou e começou a vibrar e  falei que realmente a torcida tá jogando com a gente"

Vencido o primeiro jogo, a central acredita que vencer a campeã olímpica na estreia não facilita a vida do Brasil no torneio de handebol.

“Eu acho que todos os adversários são difíceis assim como a Noruega bi -campeã olímpica. A Romênia (próximo adversário do Brasil) ficou em terceiro no último mundial. Nós perdemos para a Romẽnia, mas todos os adversários são difíceis independente de ser a Noruega, a Romênia, Montenegro ou Angola”, avaliou.

O Brasil volta a jogar na segunda-feira (8) contra a Romênia às 15h40, na Arena do Futuro pela segunda rodada do grupo A.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.