Publicidade
Rio 2016
PASSEIO!

Brasil atropela a Rússia, se vinga de 2012 e briga pelo ouro no vôlei

Brasil chega a sua quarta final consecutiva no vôlei masculino e pega a Itália no domingo 19/08/2016 às 23:33
Show wallace
Oposto Wallace marcou 18 pontos na vitória brasileira / Foto: Rio 2016
Camila Leonel Rio de Janeiro (RJ)

Diferente do que foi em Londres, quando o Brasil levou uma incrível virada dos russos após abrir 2 a 0 no placar, o Brasil não deu sopa para o azar e venceu os russos com autoridade por 3 sets a 0 (25 a 21, 25 a 20 e 25 a 17.Com o resultado, o Brasil chega à final e disputa o ouro com a Itália no domingo às 12h15 (horário de Manaus). Antes, às 8h30, Estados Unidos e Rússia disputam o Bronze.

A Rússia começou sacando errado, dando de presente o primeiro ponto do Brasil, mas os russos não são bonzinhos e logo uma bola forte de Kliuka morreu na quadra brasileira para empatar o placar. Lipe responde com outra pancada e coloca o Brasil novamente na frente. Em um jogo onde as pancadas ou “super spikes”, como os animadores chamam durante a narração, destacou-se as bolas de Lucarelli, que explorou muito o alto bloqueio russo e quando a bola não morria na quadra russa, ela espirrava na defesa e saía. O jogo permaneceu equilibrado até o 15º ponto, quando estava 15 a 14 para o Brasil, mas a partir daí, o Brasil abriu vantagem, duas vezes com Lucarelli, numa delas após uma bela defesa de Lipe e o Lucarelli mandou uma bomba para a quadra dos russos. Apesar da diferença no placar, os russos não desistiam de buscar as bolas, o que gerou belos rallys, mas Lucão não queria saber de papo e fez o 24º ponto. Os russos chegaram a salvar o ponto final duas vezes, mas Lucarelli fechou o primeiro set em 25 a 21.

Ligados

Os russos voltam mais ligados e fazem 2 a 0 de cara com Mikhalov e Tatyukhin, mas Kliuka interrompe a boa sequência dos russos ao errar o serviço. A Russia abre dois pontos de vantagem, mas Lucarelli encosta o placar fazendo 4 a 3. Mas os russos voltaram eficientes e ficou difícil passar pelo bloqueio deles, que chegaram ao quinto ponto. Eles fizeram o sexto também, mas uma bola providencial de Wallace fez o brasil encostar em 6 a 5. Maurício Souza, com uma pancada empatou o jogo, mas os russos forçavam a bola em Serginho e marcaram o sétimo ponto. Lipe empatou, mas os russos não queriam largar a ponta do placar. Kliuka errou o serviço empatando para o Brasil. O brasil se atrapalha e cede o 12º ponto da Russia que abre dois pontos (12-a10).

Mas os russos também erram e foi a vez de Tetyukhin errar o serviço. O empate veio com o bloqueio do Brasil funcionando (12-12). Os adversários reagiram e conseguiram abrir 15 a 13, mas Wallace não deixa os russos se distanciarem e trata de fazer 15 a 14. Mas se os brasileiros tinham Wallace, os russos tinham Mikhalov, que fez o 16 º ponto. Lucão empatou o jogo com uma pancada levantando a torcida no ginásio.

Foi aí que começou a sequência de erros dos russos. Uma bola fora de Tethyukhin, virou o placar para o Brasil. Mikhaylov e Grankin mandaram a bola pra fora deixando o jogo 19 a 17 para os brasileiros. O vigésimo ponto do Brasil vem em outro erro dos russos. Desta vez, Mikhaylov errou o serviço, o 21º ponto foi marcado pelos brasileiros mesmo, que com um bloqueio duplo não deixaram a bola passar. A diferença aumentou para quaro pontos, quando Lucarelli explorou o bloqueio russo.

Quando o time da Rússia resolveu acertar, eles fizeram logo um ace com Tetyukhin (22-20). Mas os erros da Rússia persistiram e mais um ponto foi dado de presente para o Brasil. O Set point veio em um ataque de Lucarelli e seguindo a sequência de erros, o bloqueio russo mandou a bola para fora fazendo 25 a 20. No final do segundo set, gritos de “o campeão voltou” já podiam ser ouvidos no Maracanãzinho.

No terceiro set

O Brasil abriu 4 a 1 no terceiro set. Lipe sacou e vibrou com o ace, mas pediram desafio e ficou confirmado o quinto ponto do Brasil. Foi aí que Volkov e Kliuka acordaram e diminuíram para 5 a 3 e começaram a gostar do jogo. Volkov, num ace, encostou em 6 a 5 e o bloqueio russo empatou a partida em 6 a 6. A virada veio com Kliuka batendo forte e fazendo 8 a 7, mas Grankin errou o serviço, deixando tudo igual (8-8). O placar só ficou mais folgado quando o Brasil abriu 13 a 10 após pontos de Lipe, um ace de Wallace e um bloqueio de Lucão. O 14º ponto veio quando o bloqueio russo mandou a bola para fora. Foi aí que começou o passeio brasileiro: Lucarelli, Lucão, Wallace, Bruninho, Lipe...começaram um festival de pontos pra cima dos russos abrindo 20 a 13. A torcida explodiu, o time explodiu junto e o gás foi suficiente para embalar a equipe, que do sufoco para conquistar a vaga para a segunda fase, conseguiu acabar com o fantasma russo em Olimpíadas e fechar o jogo em 25 a 17.

Publicidade
Publicidade