Quinta-feira, 14 de Novembro de 2019
SALDO POSITIVO

Chico é o quinto na barra fixa e ginástica masculina fecha Rio 2016 com três medalhas

Campanha na Rio-2016 foi a melhor da ginástica brasileira na história das Olimpíadas



BARRETO.jpg Chico chegou a sua primeira final olímpica e conseguiu bom resultado / Foto: Reprodução
16/08/2016 às 15:27

O ginasta Francisco Barreto Júnior, ou simplesmente Chico, chegou à final da barra fixa após cometer poucos erros na classificatória. Nesta terça-feira, dia 16, porém, o brasileiro não conseguiu repetir a boa apresentação do primeiro dia e foi o quinto melhor nos Jogos Olímpicos do Rio 2016. A decisão aconteceu na Arena  Olímpica, no Rio de Janeiro. O ouro ficou com Fabian Hambuchen, da Alemanha. Leyva Danell levou a prata e Nile Wikson, da Grã-Bretanha, o bronze.

"Foi uma prova muito bonita aos olhos do espectador, mas eu tive três erros técnicos que me custaram o terceiro lugar ou até o segundo lugar. Mesmo assim estou muito satisfeito, eu acreditei até o fim que eu podia ser medalhista. Nível eu mostrei que tenho, mas o que me custou foram uns errinhos técnicos, porque tem que ser perfeito para estar no pódio. Mas estou satisfeito por representar bem o Brasil", comentou Chico.



Mesmo sem mais uma medalha, a ginástica artística masculina do Brasil somou resultados históricos e encerrou a participação nos Jogos do Rio com três medalhas. No últimos domingo, dia 14, Diego Hypolito e Arthur Nory garantiram a prata e o bronze, respectivamente, no solo. Na segunda, dia 15, Arthur Zanetti conquistou a prata nas argolas.

O que comprova que esta foi a melhor campanha da ginástica artística em Olimpíadas. Antes dos Jogos do Rio, o Brasil só tinha uma medalha olímpica na ginástica, o ouro de Zanetti conquistado em Londres 2012. "

“Há três anos eu achava que uma final olímpica era algo impossível. E eu consegui chegar a uma, fiquei em quinto lugar, isso provou que a gente melhorou, que a gente treinou muito e que tudo é possível pra nós”, Francisco Barreto Júnior.

Além das medalhas, a seleção masculina alcançou ainda a sexta colocação na final por equipes, um resultado inédito. O feminino não levou nenhuma medalha, mas Flávia Saraiva conquistou o melhor resultado de uma ginasta na disputa da trave, ao ficar em quinto lugar na final realizada na segunda-feira, dia 15.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.