Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Sem medalha

Brasileiro surpreende na esgrima, mas cai nas quartas de final na Rio 2016

Apesar da derrota, Guilherme Toldo igualou a melhor marca da modalidade.



guilhermetoldo_2.jpg Guilherme vibrou muito a cada golpe acertado no adversário (Foto: Divulgação)
07/08/2016 às 10:31

O esgrimista brasileiro Guilherme Toldo brilhou nas Olimpíadas. Carregado pela torcida, o gaúcho venceu Rene Pranz na estréia, o segundo colocado do ranking mundial Yuki Ota e Ka Long Cheung até chegar às quartas de final, onde foi eliminado pelo italiano Daniele Garozzo. Apesar da eliminação, Toldo mostrou satisfação com o resultado e, mesmo conversando com os jornalistas, continuava sorrindo ao lembrar do bom desempenho.

“Fico bem dividido. Óbvio que eu fico contente porque eu conseguir jogar bem, cpnsegui uma postura legal, conseguir jogar legal, consegui fazer bons combates. Mas cara, chegar até aqui e voltar com o peito vazio não é frustrante porque é uma coisa que acontece. Fico um pouco triste por causa desse combate, joguei super bem, tava bem, mas é uma coisa que acontece. Da mesma maneira que eu fico um pouco triste com o acontecido, eu fico contente com tudo que eu consegui juntar de experiência”, explicou ele.

Na esgrima, o vencedor é aquele que acertar 15 golpes primeiro, o esgrimista brasileiro perdeu por 15 a 8, no florete inidividual masculino. O “carrasco” foi justamente um conhecido de Toldo, que treina com ele na Itália. “A gente treina todo dia junto. Temos o mesmo mestre, então a gente se conhece bastante. Obvio que eu fico super triste, mas vou botar todas as minhas fichas nele, é um cara que merece estar entre os quatro melhores", revelou Guilherme, ao fim da luta.  Apesar do bom desempenho ter chamado a atenção, Toldo não considerou as grandes vitórias como surpresas. "Me preparei para isso, não vim aqui para brincar”, enfatizou.

Brasil na esgrima

Além de Guilherme Toldo, outros dois brasileiros disputaram a modalidade, mas foram eliminados: Ghislain Perrier e Henrique Marques. Ghislain nasceu em Fortaleza e foi adotado por pais franceses. Após a eliminação, o esgrimista falou com a imprensa apenas em francês e inglês, justamente por não dominar o idioma. Mesmo assim, se sentiu em casa com a força da torcida.

"Eu não acreditei quando vi a torcida, porque é esgrima e você acha que não seriam muitas pessoas aqui. Mas quando eu vi todos esses brasileiros, foi bem louco. Eu não estava pronto para isso" confessou o esgrimista.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.