Terça-feira, 25 de Junho de 2019
Marcha atlética

'Não teve nenhum dia que eu saí na rua que eu não fui xingado por fazer marcha atlética'

Caio Bonfim superou recorde brasileiro da modalidade e obteve o melhor resultado do país no esporte. Mesmo ouvindo 'para de rebolar, veado' durante toda a carreira, o brasileiro ficou a 5 segundos de medalha olímpica



bnmbnm.JPG
12/08/2016 às 18:48

A marcha atlética teve sua primeira disputa nesta sexta-feira (12). Uma das modalidades mais curiosas, reservou também um dos resultados mais emocionantes dos Jogos Olímpicos Rio 2016. O brasileiro Caio Bonfim terminou a prova em 4º lugar, a 5 segundos do pódio, na disputa nos 20 km.

A história que poderia ser de decepção, se tornou motivo de comemoração para o atleta brasileiro. “Quarto lugar foi um resultado fantástico”, garantia Caio após a prova, que não se mostrou decepcionado em terminar tão próximo do terceiro colocado da prova. “É difícil, eu fiz a volta muito forte. Não sei se dava para chegar mais no cara. Ele foi melhor, parabéns para ele”, disse sorridente.

Sem grande destaque no Brasil, a marcha atlética ainda é vista com preconceito por grande parte da população. Na modalidade, os corredores percorrem grandes distâncias com passos rápidos e curtos, devendo ter sempre um dos pés em contato com o chão e manter a perna estendida, sem flexionar o joelho, desde o momento em que o pé toca o chão até que o outro pé passe à frente dele, esse movimento só é possível com muita movimentação do quadril, que viram alvo de piadas.

“Não teve nenhum dia que eu saí na rua que eu não fui xingado por fazer marcha atlética. Eles diziam “vira homem”, “para de rebolar, veado”, “vai para casa, vai trabalhar”, “vagabundo”. Todo dia. Tenho nove anos de marcha e não teve nem um dia em que não fosse xingado. Mas não teve um dia em que eu cheguei em casa e meus pais não me apoiaram”, revelou Caio Bonfim.

Durante a disputa desta sexta-feira, porém, o cenário foi diferente. A torcida gritava o nome de Caio durante toda a prova. “Hoje eu não ouvi xingamentos, eu nem tinha ouvido para isso. Eu ouvi muita alegria, muito incentivo. Muito obrigado” disse ele, enquanto concedia entrevista e ainda era possível ouvir a torcida cantando seu nome.

“O quarto lugar para mim representa uma medalha. A gente tem que tirar lições disso tudo, este é o esporte”, declarou Caio, demonstrando total satisfação com o resultado.

Na próxima sexta-feira (19), às 7h (horário Manaus) Caio Bonfim volta a disputar a marcha atlética, desta vez com a distância de 50 km. A prova, assumidamente, não é a especialidade do brasileiro que já se diz satisfeito com o desempenho e por popularizar o esporte no país.

“Agora vamos para próxima. Se for medalha, vamos. O que importa é se você deu tudo e eu prometo para vocês que eu dei tudo. Eu dei tudo”, finalizou o brasileiro.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.