Segunda-feira, 24 de Junho de 2019
Deu a lógica

Quênia mantém hegemonia na Maratona e leva ouro entre as mulheres

A queniana Jemima Jelagat Sumgong superou o forte calor carioca e venceu a prova mais difícil do atletismo na Olimpíada; melhor brasileira chegou na 69° posição



ken.JPG Com o tempo de 2h24m04s o Quênia ficou com o ouro na Maratona.
14/08/2016 às 13:02

Depois de uma semana com tempo fechado e temperaturas amenas na cidade do Rio de Janeiro, eis que o sol resolveu dar as caras justamente no dia da Maratona Olímpica Feminina. Nenhum problema para a queniana Jemima Jelagat Sumgong, que superou o forte calor na manhã deste domingo (14) e conquistou a medalha de ouro na prova mais dura do programa dos Jogos Rio 2016.

Com o tempo de 2h24m04s, Sumgong manteve o ritmo forte desde o início da prova, travando duelo com a compatriota Eunice Kirwa, que disputou a Olimpíada pela bandeira do Bahrein. Restando 5 quilômetros para o fim da prova, a representante do Quênia arrancou para a vitória e não foi mais alcançada pelas adversária.

Ovacionada pela torcida no Sambódromo, onde também aconteceu a largada da prova, Sumsong provou porque as africanas são as favoritas nas competições de longa distância. Eunice Kirwa chegou na segunda posição e levou a prata. Fechando o pódio Olímpico da Maratona feminina, a atual campeã mundial, Mare Dibaba ficou com o bronze.

Guerreiras do Brasil

O Brasil teve três representantes na prova e a melhor colocada foi Adriana Aparecida da Silva, que chegou na 69º colocação, com o tempo de 2h43m22s. Marily dos Santos chegou pouco tempo depois e ficou com a marca de 2h45m08s. Graciete Santana chegou na 128º, fechando a participação do País com a marca de 3h09m13s. 

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.