Segunda-feira, 29 de Novembro de 2021
Saúde infantil

Cuidados com os rins devem começar logo na infância

Quando pensamos no adoecimento dos rins é comum associarmos como um problema dos idosos ou de adultos. Sim, o problema é relativamente raro em crianças. No entanto, quando a doença atinge os pequenos, especialmente em estágios avançados, pode trazer consequências extremamente graves



zvida0609_2f_D23311BC-2566-4A6D-8F5A-E4A996D09A81.jpg Causa da doença renal em crianças geralmente está associada a má formação e doenças hereditárias (Foto: Reprodução/Internet)
10/10/2021 às 12:56

Os rins são responsáveis por filtrar o sangue, retirando toxinas e líquidos em excesso do sangue - uma função fundamental para o corpo humano - e participam da produção de hormônios importantes na formação de glóbulos vermelhos e vitamina D. Por isso, cuidar da saúde renal desde cedo é fundamental.

Caso os rins dos pequenos não estejam funcionando bem, podem aparecer sinais que muitas vezes os pais nem percebem e quanto mais tarde o diagnóstico é feito, mais grave a doença renal pode se tornar. Por isso, os pais devem ficar atentos. Inchaços nas mãos e pés, cansaço, alteração na quantidade e cor de urina, sangue na urina, febre ou calafrios com dor na bexiga, além de ardência ao urinar são sintomas que indicam a necessidade de ir ao médico.

"A pressão alta na infância é um sinal de alerta para problema nos rins, e normalmente é diagnosticada em exame clínico no pediatra com aferição da pressão arterial. Quando há alteração, a criança é encaminhada ao especialista, um nefrologista pediátrico, para investigação, visto que 80% dos casos de Hipertensão arterial na faixa etária pediátrica está relacionada com problema renal. Muitas vezes, as malformações que atingem as crianças são detectadas por ultrassonografias até mesmo na gestação", explica a Drª Simone Vieira, nefropediatra e coordenadora médica da unidade de Hemodiálise Pediátrica da Samarim, clínica da Fresenius Medical Care que fica dentro do Hospital Samaritano. É a primeira no Brasil a ter uma unidade exclusiva pediátrica, e possui hoje capacidade de atender 40 crianças.

De acordo com a Dra Simone, é raro a doença renal crônica em crianças, e normalmente a causa está em má formação e doenças hereditárias. O acompanhamento regular com o pediatra e o encaminhamento ao especialista diante de algum sinal de doença renal para o tratamento precoce e correto pode preservar a função renal.

"As crianças estão ingerindo muitos alimentos com sódio, gorduras. A alimentação dos pequenos é fundamental na prevenção quanto à saúde renal. Eles precisam beber muito líquido, diminuir sal, açúcar e gorduras e ingerirem mais frutas, legumes, carne branca. O sódio é um conservante e está presente em muitos alimentos industrializados que as crianças consomem", alerta.

Medidas preventivas farão realmente a diferença no crescimento e desenvolvimento das crianças, pois o bom funcionamento dos rins é imprescindível para garantir a vida saudável. Na vida adulta, muitas pessoas em hemodiálise são diabéticas ou perderam a função renal devido a hipertensão arterial não controlada. Atitudes saudáveis desenvolvidas já na infância podem impedir o aumento da incidência de diabéticos, hipertensos e doentes renais no futuro. Abaixo, listamos dicas para cuidar da saúde renal desde a infância:

Dicas de prevenção

Aleitamento materno exclusivo: protege contra desidratação e algumas doenças. O uso de outros leites, ao invés do materno, provoca sobrecarga nos rins do bebê devido à grande quantidade de sal e proteína.

Evitar sal, açúcar e alimentos industrializados: o consumo de produtos industrializados e fast-food tem impacto direto na saúde infantil com aumento da incidência de cálculos renais, obesidade, diabetes e hipertensão arterial.



News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.