Nutrição

O que levar em conta na hora de escolher o iogurte no mercado

Você chega no supermercado e encontra inúmeras opções de iogurtes. Na dúvida de qual o melhor, acaba não levando nada. Para não passar mais por esse problema, a nutricionista Adriana Lauffer dá dicas de como escolher o produto certo

Tiago Melo
11/12/2021 às 21:04.
Atualizado em 08/03/2022 às 19:48

((Foto: Divulgação))

Consumido desde a antiguidade, o iogurte é um um produto derivado da fermentação de leite de origem animal que hoje pode ser encontrado em abundância nas geladeiras dos supermercados. Diante de tanta variedade, fica a dúvida: qual escolher? Para responder a questão, a nutricionista Adriana Lauffer leva em consideração algumas questões como lista de ingredientes, composição nutricional, sabor e também conveniência para o consumo.

“Quanto mais natural, melhor. Ou seja, o iogurte ideal é aquele que tem apenas dois ingredientes: leite e fermento natural, ou no máximo três ingredientes, em que o terceiro seria um espessante. Se você tiver a oportunidade de fazer em casa o seu próprio iogurte, seria excelente”, afirma a especialista.

Segundo ela, é por conta da sua composição específica que nem todos os produtos que estão em potinhos na prateleira de laticínios podem ser considerados iogurtes. Muitas pessoas não sabem, mas há diferença entre iogurte e bebida láctea. A bebida láctea é mais líquida e trata-se de uma mistura de leite (que pode ser integral, desnatado ou parcialmente desnatado) com o soro do leite (que é o subproduto da produção do queijo).

“O iogurte é o leite coagulado produzido através de leite fermentado por bactérias, por isso possui uma consistência mais cremosa. Então, para ser considerado iogurte, o leite deve ser fermentado por micro-organismos específicos, usualmente Lactobacillus bulgaricus e Streptococcus thermophilus. Essa fermentação contribui para a formação das características finais do produto. Os iogurtes variam entre desnatados e integrais, dependendo da quantidade de gordura presente e podem ter adição de amido, segundo a legislação brasileira”, destaca Lauffer.

Escolha saudável

Para escolher um iogurte equilibrado, vale a pena prestar atenção em mais alguns detalhes do rótulo. Como a quantidade de gordura, que vai depender da base láctea utilizada na fabricação – se é integral ou desnatada.

Destaque também para a presença de açúcar adicionado, como dextrose, maltose, xarope de glicose, milho ou malte, sacarose, frutose, açúcar invertido e melaço, ou a presença de aditivos artificiais, como aromas, corantes, edulcorantes (adoçantes), acidulantes, emulsificantes e conservantes.

Atente ainda para a presença de nutrientes adicionados: vitaminas, minerais e proteínas, como whey protein. A adição de pedaços de frutas, caldas e outros ingredientes também podem aumentar o valor calórico e a quantidade de açúcar.

“Do ponto de vista nutricional, o iogurte natural preparado em casa é o melhor, pois possui maior teor de proteínas, cálcio e bactérias probióticas, aquelas bactérias boas para o nosso organismo. Por isso, seu consumo regular pode ajudar a manter a microbiota intestinal saudável, e sabemos o quanto é importante para a nossa saúde geral”, conclui a nutricionista.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por