FLUXO

Veja como vai funcionar o atendimento a pacientes com Covid-19 no Hospital Nilton Lins

Unidade deve ser aberta nos próximos dias, com com 80 leitos clínicos e 22 de UTI, e servirá para transferência de pacientes que estão em outras unidades necessitando de internação

Portal A Crítica
13/01/2021 às 14:48.
Atualizado em 09/03/2022 às 10:29

O Hospital Nilton Lins, que está sendo preparado para ser referência no atendimento de pacientes com Covid-19 em Manaus, vai receber pacientes transferidos de outras unidades da rede pública.  Logo, ele não será uma unidade de porta aberta, com livre demanda, como prontos-socorros, por exemplo.

Assim como ocorreu em 2020, o hospital atuará como unidade de referência para receber apenas pacientes por meio do Sistema Nacional de Regulação (Sisreg), sob responsabilidade da Central Única de Regulação e Agendamentos de Consultas e Exames (Cura). Ou seja, aqueles que já se encontram em atendimento nas unidades de Urgência e Emergência e, após avaliação médica, tiveram a indicação para internação.

O Hospital Nilton Lins vai atuar da mesma forma como atua o Hospital Delphina Aziz, na zona norte de Manaus. A nova unidade de referência, que deve ser aberta nos próximos dias, tem capacidade inicial para funcionar com 80 leitos clínicos e 22 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

UBS é porta de entrada – A SES-AM ressalta que pacientes com suspeita de infecção pelo novo coronavírus, apresentando sintomas leves, devem procurar as Unidades Básicas de Saúde (UBS). Na capital, esses estabelecimentos são administrados pela Prefeitura de Manaus.

Encaixa-se no perfil de atendimento de UBS, por exemplo, paciente que não esteja com dificuldade de respirar ou falta de ar, e nem com pressão baixa, que são considerados sintomas graves da Covid-19 (e geralmente associados a outros sinais, como febre, tosse e dor de garganta, por exemplo).

Os sinais e sintomas de Covid-19 e outras síndromes gripais mais comuns, que são alerta para procurar assistência médica em UBS, são febre, tosse, coriza, dor de garganta, congestão nasal, produção de escarro e dificuldade para deglutir (engolir).

Rede de urgência e emergência – A SES-AM ressalta que o paciente deve se dirigir a unidades do Estado (rede de urgência e emergência) quando estiver apresentando sinais de gravidade da doença. Alguns desses sintomas são: saturação de oxigênio menor que 95%, falta de ar e baixa pressão.

A rede de urgência e emergência da SES-AM em Manaus com porta aberta para atender pacientes graves com suspeita de Covid-19 e outras síndromes gripais é composta por 24 unidades, entre prontos-socorros, maternidades e serviços de pronto atendimento (SPAs e UPAs).

Pacientes graves têm prioridade – Para evitar que algumas unidades sejam mais demandadas que outras, a SES-AM pede que a população fique atenta às informações sobre o perfil de atendimento de cada unidade da rede estadual. Isso porque há protocolos de assistência específicos para cada nível de complexidade e perfil de paciente.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica - Empresa de Jornais Calderaro LTDA.© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por