Publicidade
Editorial

69 anos depois, a luta não parou

18/04/2018 às 21:33
Show umberto calderaro

Há exatos 69 anos, Umberto Calderaro Filho, com apenas 22 anos e de família humilde, teve a ousadia de fundar um jornal com uma proposta diferente do que havia até então no Amazonas, pautado pela independência e imparcialidade. Por isso mesmo, o nome da nova publicação não poderia ser outro; nascia o jornal A CRÍTICA.

O espírito combativo de Calderaro, com apoio permanente de sua esposa Ritta, tornou-se uma marca registrada da empresa, manifesta todos os dias nas páginas do jornal e que perdura até hoje. É claro que não faltaram inimigos,   ameaças e ataques de todo tipo. Houve até ataque a bomba na antiga sede na Rua Lobo D’Almada, no Centro. As adversidades apenas renovavam em Umberto e Ritta a certeza de que estavam no caminho certo e o ânimo para continuar a luta. A empresa cresceu, modernizou-se,  tornando-se um dos veículos de comunicação mais respeitados da região, mantendo, porém, os mesmos princípios que a nortearam desde os primeiros dias.

Umberto se foi em 1995 e Ritta, em 2016, mas o mesmo espírito combativo permanece mais vivo do que nunca, como uma das principais características do jornal A CRÍTICA e das demais empresas que hoje integram a Rede Calderaro de Comunicação, um dos maiores grupos de comunicação do Norte do País.

Caminhando para sete décadas de trajetória, o jornal, assim com as demais mídias do grupo, passará por uma mudança editorial e gráfica, dando ênfase no que o leitor almeja, em sintonia com as transformações na forma de produzir e consumir informações na atualidade. O objetivo é oferecer sempre o melhor aos leitores, ouvintes, telespectadores e internautas, honrando o slogan que resume a visão de Umberto Calderaro: “De mãos dadas com o povo”.

A trajetória do jornal A CRÍTICA, agora com 69 anos, continua. É uma caminhada que, desde os primeiros dias, nunca foi fácil. Os desafios e obstáculos são diários, mas serão superados com altivez.

O próprio Umberto Calderaro, por ocasião do 46º aniversário do jornal, em 1995, escreveu um editorial em que resumiu a trajetória da empresa até então, marcada por desafios, superação e vitórias. O texto termina com uma mensagem que permanecerá atual para sempre: “Aos meus amigos, e até aos meus adversários, no dia de hoje reafirmo: a luta não parou”.