Domingo, 23 de Janeiro de 2022
Editorial

A aglomeração já é realidade


20140705175946230680o_68E402F8-26DC-4960-81FA-62EEC89F0DB5.jpg
07/12/2021 às 06:50

O cancelamento das grandes festas públicas de final de ano é uma medida sensata. Alguns setores revelam insatisfação porque por mais um ano seus negócios não poderão funcionar adequadamente. Tais manifestações não podem significar, como ocorreu no passado, motivação para a mudança de conduta administrativa. O Estado do Amazonas e a cidade de Manaus pagaram preço muito alto por conta da não observância desses parâmetros e por seguirem, principalmente, o viés econômico.

Mesmo que o contexto econômico seja relevante e, após dois anos aproximadamente de certa paralisia, ele não pode ser determinante e jogar por terra os resultados mais positivos quanto ao controle da pandemia de Covid-19.  O Amazonas voltou a ter alta de casos com dois aspectos, os que não se vacinaram ou não completaram cobertura vacinal e aqueles que vacinados contraíram o novo coronavirus.

A vacinação é o instrumento para lidar com a pandemia e ter êxito quanto aos adoecimentos e mortes, a ela juntam-se os outros procedimentos de prevenção, a higiene das mãos e evitar aglomerações. Esse não é um protocolo fictício, está comprovado pela ciência e apresenta resolutividade. Em paralelo, o novo coronarivus demonstra extrema capacidade de se reproduzir em novas variantes e testa, o tempo todo, a ciência que vem conseguindo, com o bom manejo das novas tecnologias, oferecer luzes nessa batalha.

Convencer o maior número de pessoas a se vacinar é ofício diário a ser praticado pelas autoridades públicas e religiosas e pelos cidadãos em todos os lugares de convivência social. A campanha contra a vacinação, realidade no mundo desenvolvido e subdesenvolvido, faz a adesão à pandemia, ao adoecimento e à morte. Apoia postura de retrocesso e se reafirma como negacionista com profundo egoísmo porque gera, notadamente, nos lugares mais pobres, prejuízos que para serem reparados exigirão um longo tempo. A perda de validade de doses de vacina em muitos países e a baixa vacinação em países do continente africano demonstra a feição da lógica que está sendo exercitada no mundo e contra a qual é dever da cidadania e dos representantes dos organismos de defesa dos direitos humanos lutar.

Outro aspecto quanto ao esforço de evitar aglomerações, como é comum no final de ano, é o fato de que essas já estão ocorrendo. É olhar para os shoppings, outros centros comerciais, os restaurantes. Todos estão lotados, e, assim, são ameaças reais.   


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.