Publicidade
Editorial

A delação!

19/10/2016 às 22:57
Show cunha valendo03

A prisão, ontem, do ex-deputado  e ex-presidente da Câmara Federal Eduardo Cunha (PMDB/RJ) deixou o mundo da política no Brasil em estado de grande alerta e apreensão, pois ninguém sabe com a profundidade o quando de podre existe nos reinos de Brasília quando o novo hóspede das celas da Polícia Federal em Curitiba (PR).

 Preso a mando do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal e responsável pelas investigações no âmbito da Operação Lava Jato, Cunha é, como certa vez disse o ex-presidente Fernando Collor de Mello, “nitroglicerina pura”.

Uma eventual delação premiada de Cunha é vista em Brasília como certa e devastadora para a reputação de políticos protagonistas da vida nacional. A começar pelo partido dele, o PMDB.

Não foram poucas as ameaças feitas por Cunha após ser cassado. O alvo mais notável dele neste período foi o secretário do Programa de Parceria de Investimentos do governo de Michel Temer, Wellington Moreira Franco, com quem Cunha alimenta rivalidade na política fluminense e no comando do PMDB. Foram, por assim dizer, inimigos cordiais até que Moreira Franco costurasse a candidatura de Rodrigo Maia (DEM/RJ) para substituir Cunha na presidência da Câmara. De lá em diante o clima azedou.

 O presidente Michel Temer também tem sido alvo do ex-deputado, que agora encarcerado pode muito bem trazer-lhe problemas por se sentir abandonado.

O alvo principal, contudo, seguirá sendo o Partido dos Trabalhadores, que Cunha chama a todo momento de organização criminosa, sendo ele próprio uma beneficiário dos maus feitos do partido no comando do País nos últimos 13 anos.

São muitas a especulações sobre essa possível delação, mas cabe também uma reflexão sobre como foi possível a Eduardo Cunha chegar nos mais altos cargos da República. De obscuro funcionário público a presidente da Câmara foi uma trajetória de grande porte. Ele não escalou essa montanha sozinho, recebeu e deu muita ajuda neste período e todos que estiveram no círculo de amizade/lealdade dele neste período agora têm algo a temer numa eventual delação.

Neste sentido, com a prisão de Cunha, a Lava Jato abre a mais vistosa vereda para entender e desvendar os esquemas de corrupção que deixam a Nação em débito com seu povo.